Translate

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

      Hoje eu acordei com um desejo enorme de falar um pouco de mim,muitas pessoas me procuram sempre quando estão com problemas eu ouso dou alguns palpites,ajudo em algumas soluções as vezes não sei muito o que dizer...mas não sei porque,elas sempre voltam quando estão com problemas,ou quando estão tristes,deprimidas ainda não entendi muito porque só atraio esse tipo de pessoas, não é que eu não goste nada disso mas quase sempre estou até piores que elas, nunca falo de mim claro que as vezes digo algumas coisas superficiais coisas que todos já sabem ou pensam que sabem.Han se as pessoas soubessem aquilo que eu sinto se elas pudessem ler meus pensamentos sempre dizem que não me entendem. Claro que não!Eu as confundo,não sou transparente como elas são,me guardo muito porque me entender é mesmo complicado até eu as vezes quer dizer...até hoje não sei quem eu sou,desde muito cedo me procuro dentro de mim e quanto mais me busco mais me perco penso que estou sempre fugindo de mim.Um dia eu tenho certeza que ficarei cara a cara comigo,han quando esse dia chegar tenho tantas coisas para me dizer,para me responder.Enquanto esse dia não chega eu represento meu papel,aquele que vem escrito num script de uma coisa tenho certeza eu represento muito bem meu papel, mas; mas quando as cortinas se fecharem...
   Ai de mim!!!
Lichaves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

vocêsabeessa

PRECONCEITO

MEUS AMIGOS Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril. Oscar Wilde