Translate

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Cabral se tu soubesses

o mal que nos fizeste; quando a caminho das

Índias

desviastes para cá ...

Trouxestes tantos bandidos

levastes tantas riquezas

deixastes uma pobre nação

enriquecendo a Portuguesa

Depois vem Dom Pedro

e dá o grito da Independência

Será que ele sabia...

Que seria nossa decadência (?)

Bem mais tarde veio Vargas

pai dos pobres - oprimidos

Jucelino mais receptivo

faz Brasília p'ros "Amigos"

Com a nova república veio

Sarney

Político sério , honrado

tanto que voltou a Brasília

agora tá no senado.

Depois tudo mudou

veio um caçador de marajás

Esse não se deu muito bem

o IBAMA mandou Parar

Han! Mas agora tudo mudou

agora é "BRASIL NOVO"

Tem o Lula , tem Zé Dirceu

E - Acredite!!! Ainda tem o Povo!!!

Oh! Cabral como eu queria...

Que como Brasileiro e Operário TU voltastes

para fazer papel de Palhaço...

Neste circo que TU Armastes.

Linamaria

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

VAZIO

Faz tempo que não escrevo nada de minha autoria Não sei me faltam palavras, parece que tudo já foi dito, escrito. Sinto um vazio Sinto que nada mais tenho a dizer nesse mundo de falsidades, de fingimentos dizer o quê? Os dias vão passando tudo se repete Tudo e Nada Eu fico aqui com meus pensamentos só meus... neles não incluem você Nem eu.
"Tinha muitas idéias na cabeça, e isso me atrapalhava. Os melhores conferencistas são aqueles de uma única idéia. Os melhores professores, os que sabem pouco." O Caso Morel "A coerência é uma característica vegetal que eu felizmente não possuo." Mandrake - Grande Arte

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Paradoxo

É o encontro de idéias com sentidos opostos. São pensamentos que se contradizem formando um só núcleo de expressão, diferenciando-se desta forma da antítese.

Exemplo:

"Amor é fogo que arde sem se ver É ferida que dói e não se sente É um contentamento descontente É dor que desatina sem doer..." (Camões)

Eufemismo

É a atenuação ou suavização de idéias consideradas desagradáveis, cruéis, imorais, obscenas ou ofensivas.

Exemplos:

- Ele entregou a alma a Deus. (Em lugar de: Ele morreu)

-Nos fizeram varrer calçadas, limpar o que faz todo o cão... (Em lugar de fezes)

- Ela é minha ajudante (Em lugar de empregada doméstica)

- "...Trata-se de um usurpador do bem alheio..." (Em lugar de ladrão)

Breve diálogo entre o teólogo brasileiro Leonardo Boff e
Dalai Lama.
Leonardo Boff explica:
'No intervalo de uma mesa-redonda
sobre religião e paz entre os povos,
na qual ambos participávamos,
eu, maliciosamente, mas também
com interesse teológico,
lhe perguntei em meu inglês capenga:
- 'Santidade, qual é a melhor religião?'
Esperava que ele dissesse:
'É o budismo tibetano ou são as religiões orientais, muito mais antigas do que o cristianismo.'
O Dalai Lama fez uma pequena pausa,
deu um sorriso, me olhou bem nos olhos
- o que me desconcertou um pouco,
por que eu sabia da malícia
contida na pergunta -
e afirmou:
'A melhor religião é a que mais
te aproxima de Deus.
É aquela que te faz melhor.'
Para sair da perplexidade
diante de tão sábia resposta,
voltei a perguntar:
- 'O que me faz melhor?'
Respondeu ele:
- 'Aquilo que te faz mais compassivo
(e aí senti a ressonância tibetana, budista,
taoísta de sua resposta),
aquilo que te faz mais sensível,
mais desapegado,
mais amoroso,
mais humanitário,
mais responsável...
A religião que conseguir fazer isso de ti
é a melhor religião...'
Calei, maravilhado,
e até os dias de hoje
estou ruminando sua resposta
sábia e irrefutável.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Eu Posso Ser Amiga
Eu não posso acabar com todos os seus problemas, dúvidas ou medos... Mas eu posso ouvir você e juntos podemos procurar soluções.

Eu não posso apagar as mágoas e as dores do seu passado, nem posso decidir qual será o seu futuro... Mas no presente eu posso estar com você se precisar de mim.

Eu não posso impedir que você leve tombos... Mas posso oferecer minha mão para você agarrar e levantar-se. Suas alegrias, triunfos, sucessos e felicidades não me pertencem... Mas seus risos e sorrisos fazem parte dos meus maiores bens.

Não é de minha alçada tomar decisões por você, nem posso julgar as decisões que você toma... Mas eu posso apoiar, encorajar e ajudar se me pedir.

Eu não posso traçar ou impor-lhe limites... Mas posso apontar-lhe caminhos alternativos, procurar com você medidas de crescimento, formas de encontrar-se, meios de ser você mesmo com medo da rejeição.

Eu não posso salvar o seu coração de ser partido pela dor, pela mágoa, perda ou tristeza... Mas posso chorar com você e ajudá-lo a juntar os pedaços.

Eu não posso dizer quem você é ou como deveria ser... Eu só posso ser seu amigo e amar você, do jeito que você é!

Fonte Mensagens e Poemas

O Cavalo Descontente

Sempre podemos encontrar motivos para nos sentirmos descontentes, se quisermos. Podemos, também, encontrar argumentos para nos considerarmos afortunados por estarmos vivos. Tudo depende da maneira como cada um vê a existência.

Era uma vez um cavalo que, em pleno inverno, desejava o regresso da primavera. De fato, ainda que agora descansasse tranqüilamente no estábulo, via-se obrigado a comer palha seca.

- Ah, como sinto saudades de comer a erva fresca que nasce na primavera! dizia o pobre animal.

A primavera chegou e o cavalo teve sua erva fresca, mas começou a trabalhar bastante porque era época da colheita.

- Quando chegará o verão? Já estou farto de passar o dia inteiro puxando o arado! lamentava-se o cavalo.

Chegou o verão, mas o trabalho aumentou e o calor tornou-se muito forte.

- Oh, o outono! Estou ansioso pela chegada do outono! dizia mais uma vez o cavalo, convencido de que naquela estação terminariam seus males.

Mas no outono teve que carregar lenha para que seu dono estivesse preparado para enfrentar o inverno. E o cavalo não parava de queixar-se e de sofrer.

Quando o inverno chegou novamente, e o cavalo pode finalmente descansar, compreendeu que tinha sido fantasioso tentar fugir do momento presente e refugiar-se na quimera do futuro. Esta não é a melhor forma de encarar a realidade da vida e do trabalho.

É melhor descobrir o que a vida tem de bom momento a momento, vivendo o presente da melhor forma possível.

Os Burros Espertos

Dizem que os burros são tolos. Mas não devemos acreditar totalmente nisso. Essa história nos mostra que nem sempre é assim.

Um lavrador tinha dois burros. Para que não fugissem, resolveu amarrá-los em uma só corda, cada um em uma extremidade. Depois de algum tempo, os dois começaram a sentir fome. A comida estava perto. Grandes montes de feno estavam ao alcance de sua visão. Os dois tentaram chegar até eles. A corda era muito curta e, puxando cada qual para o seu lado, nenhum dos dois conseguia alcançar o seu monte de feno. Então compreenderam que o melhor era sentar e dialogar. Talvez juntos conseguissem encontrar uma solução.

Assim o fizeram. Durante um bom tempo, estiveram a dar voltas ao assunto, sem conseguir encontrar um jeito de chegar ao feno. Por fim, disse um deles:

- Vamos ver! Nós dois estamos com fome. A corda que nos une é muito curta e não podemos ir cada um para o seu lado. Por que não vamos juntos para o primeiro monte de feno? Assim, ambos poderíamos comer dele e depois provar o segundo. Dessa forma, comeríamos a quantidade habitual.

- Boa idéia! admitiu seu companheiro.

Pondo em prática a sugestão, banquetearam-se ambos, apesar da corda com que haviam sido amarrados. Mostraram, dessa forma, que os burros não são tão burros quanto parecem.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Das expressões

Postado por Paulo Coelho em 14 de Fevereiro de 2009 às 00:28

L. Barbosa conta uma curiosa história sobre quatro pessoas: “Todo Mundo”, “Alguém”, “Qualquer Um”, e “Ninguém”.

Havia um importante trabalho a ser feito, mas “Todo Mundo” tinha certeza que “Alguém” o faria.

“Qualquer Um” podia tê-lo feito, mas “Ninguém” o fez.

“Alguém” zangou-se, porque achava que era um trabalho para “Todo Mundo”.

“Todo Mundo” pensou que “Qualquer Um” podia resolver o assunto, mas “Ninguém” imaginou que “Todo Mundo” deixasse de fazê-lo.

No final, “Todo Mundo” culpou “Alguém”, quando “Ninguém” fez o trabalho que “Qualquer Um” podia ter feito.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Despertador é bom para a gente se virar para o outro lado e dormir de novo.

Mário Quintana

Quem atira lama a outro, mais ainda a si próprio enlameia.

Thomas Fuller

Loucos e Santos Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

Oscar Wilde

DA DISCRIÇÃO Não te abras com teu amigo Que ele um outro amigo tem. E o amigo do teu amigo Possui amigos também...

Mário Quintana

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Desencontro

Hoje eu amanheci triste não sei onde cheguei nem para onde estou indo... tudo é tão superficial tudo morre o tempo não pára nem dá tempo de nos encontrar sinto um vazio uma dor que vem não sei de onde(?) Tenho saudades de mim se um dia eu me encontrar novamente eu partirei,sozinha, comigo. Irei ao encontro da felicidade onde? Eu sei onde está!!! Mas o que faço para me encontrar? Linamaria

vocêsabeessa

PRECONCEITO

MEUS AMIGOS Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril. Oscar Wilde