Translate

sábado, 31 de dezembro de 2011

M  U  D  E
(Edson Marques)

" Mude, mas comece devagar,
porque a direção é mais importante
que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira,
no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair,
procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho,
ande por outras ruas,
calmamente,
observando com atenção
os lugares por onde
você passa.

Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os teus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira
para passear livremente na praia,
ou no parque,
e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas
e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama...
depois, procure dormir em outras camas.

Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais...
leia outros livros,
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia
numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos,
escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores,
novas delícias.

Tente o novo todo dia.
o novo lado,
o novo método,
o novo sabor,
o novo jeito,
o novo prazer,
o novo amor.
a nova vida.

Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais,
vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo,
jante mais tarde ou vice-versa.

Escolha outro mercado...
outra marca de sabonete,
outro creme dental...
tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
Ame muito,
cada vez mais,
de modos diferentes.
Troque de bolsa,
de carteira,
de malas,
troque de carro,
compre novos óculos,
escreva outras poesias.

Jogue os velhos relógios,
quebre delicadamente
esses horrorosos despertadores.
Vá a outros cinemas,
outros cabeleireiros,
outros teatros,
visite novos museus.
Se você não encontrar razões para ser livre,
invente-as.
Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem
despretensiosa,
longa, se possível sem destino.

Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas,
mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento,
o dinamismo,
a energia.
Só o que está morto não muda !

Repito por pura alegria de viver:
a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não
vale a pena!!!!
A ALMA DO MUNDO
(Chico Xavier)
Quando você conseguir superar graves problemas de relacionamentos, não se detenha na lembrança dos momentos difíceis, mas na alegria de haver atravessado mais essa
prova em sua vida.

Quando sair de um longo tratamento de saúde, não pense no sofrimento que foi necessário enfrentar, mas na benção de Deus que
permitiu a cura.

Leve na sua memória, para o resto da vida, as coisas boas que surgiram nas dificuldades.
Elas serão uma prova de sua capacidade, e lhe darão confiança diante de qualquer obstáculo.

Uns queriam um emprego melhor;
outros, só um emprego.
Uns queriam uma refeição mais farta;
outros, só uma refeição.
Uns queriam uma vida mais amena;
outros, apenas viver.
Uns queriam pais mais esclarecidos;
outros, ter pais.

Uns queriam ter olhos claros; outros, enxergar.
Uns queriam ter voz bonita; outros, falar.
Uns queriam silêncio; outros, ouvir.
Uns queriam sapato novo; outros, ter pés.

Uns queriam um carro; outros, andar.
Uns queriam o supérfluo;
outros, apenas o necessário.
Há dois tipos de sabedoria:
a inferior e a superior.

A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.
Tenha a sabedoria superior. Seja um eterno aprendiz na escola da vida.

A sabedoria superior tolera, a inferior julga;
a superior alivia, a inferior culpa;
a superior perdoa, a inferior condena.
Tem coisas que o coração só fala para quem sabe escutar!

sábado, 24 de dezembro de 2011

ANALÂNDIA


ANALÂNDIA








ANALÂNDIA

****************************************************

Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
- E daí? Eu adoro voar!
Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre..."

*Clarice Lispector*

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011



Usamos o cérebro para desempenhar todas as atividades e quase não percebemos que para fazer uma conta no supermercado, ele é tão importante e necessário quanto para fazer uma caminhada. Seu poder não é visível à primeira vista, porque quando você está pensando, uma rede elétrica trafega dentro de seu cérebro numa velocidade surpreendente, formando conexões entre as células nervosas, resultando numa rede complexa e sofisticada.

Através de nossos sentidos são enviadas mensagens ao cérebro para serem decodificadas e interpretadas. No cérebro tais mensagens são transformadas em conhecimentos. É no cérebro que mora a palavra, tudo que aprendemos e vivenciamos fica bem guardado nele. Ele é o berço da ideia, a casa da consciência. É ele quem comanda os movimentos voluntários e involuntários, a coordenação psicomotora, a atenção, a concentração e percepção, além de permitir a prática de esportes, a ter ritmo e aprender a dançar. É o órgão mais complexo do corpo humano capaz de nos dar a inteligência e presença de espírito.

Cérebro e plasticidade

Com o avanço da idade, precisamos também conhecer quais mudanças ocorrem no cérebro e como ocorrem essas modificações que determinam o funcionamento da mente humana e os fatores que a influenciam. Entretanto, é da natureza do cérebro possuir alta plasticidade, ou seja, ele é capaz de se modificar conforme a sua interação com o ambiente.

A plasticidade trata-se de um conjunto de processos fisiológicos, nos níveis celulares e moleculares, que explicam a capacidade dos neurônios mudar suas respostas em função de determinado estímulo. Quanto mais o nosso organismo interage com o ambiente e se insere num contexto socializador, mais esse organismo se modifica. Tudo depende da relação dos aspectos biológicos com o ambiente para se desenvolver e se aprimorar. Nem a natureza é natural. Mente causa cérebro e cérebro causa mente. Mente e cérebro são duas faces da mesma moeda.
Os neurônios, que são responsáveis pelo envio e recebimento de sinais nervosos, são verdadeiros bits de informação capazes de codificar tudo o que sentimos e pensamos. Tem a função de combinar informações genéticas, moleculares e bioquímicas com informações que recebemos do mundo.

Como as células nervosas se comunicam
Nosso cérebro é dividido por lobos cerebrais: frontal, parietal, occipital, temporal. Os lobos cerebrais são as regiões responsáveis por cada área ou funções específicas da mente humana. Nos lobos existem mais de um bilhão de células nervosas, os neurônios, que são responsáveis pelo envio e recebimento de impulsos e sinais nervosos. Existe uma eficiente comunicação entre os lobos. Nenhuma área do cérebro funciona independente da outra. Cada neurônio comunica-se com outros neurônios por meio de estruturas especializadas chamadas sinapses, que são espaços que contém diferentes substâncias químicas cerebrais, chamadas neurotransmissores. A ação conjunta dos neurônios forma as redes neurais ou circuitos, criando cada vez mais novas conexões ao exercitá-lo. Essa é a verdadeira comunicação que o cérebro exerce.

No nascimento, os neurônios já estão formados, mas as sinapses se formam com a experiência. É o processamento das informações. Por isso, que dominar o cérebro é dominar o conhecimento.

O cérebro não está envolvido somente com funções de mobilidade e sensitivas, ele também possui áreas de associação importantes. Todo o circuito cerebral das funções intelectuais se relaciona com diferentes regiões do cérebro de um mesmo hemisfério cerebral ou dos dois em conjunto, permitindo que tais funções constituam sistemas funcionais complexos que possam apresentar grande poder de rearranjo funcional ou plasticidade cerebral. As funções mentais são um produto de uma longa evolução biológica e social. A capacidade de captar, reagir, operar estímulos recebidos do mundo externo, é uma diferenciação do organismo do homem, com grande capacidade de adaptação, o que assegura sua sobrevivência.
Ação do tempo no sistema nervoso

O sistema nervoso também sofre com a ação do tempo e o cérebro após atingir sua maturidade também envelhece e surgem algumas mudanças anatômicas e fisiológicas nele. Com o fenômeno do envelhecimento, a partir dos 60 anos ocorre diminuição do peso do cérebro na mulher e a partir dos 70 anos nos homens. Com o avançar da idade também ocorre alargamento de espaços e atrofia. Diminuição do “hipocampo”, área importante para a memória e um menor metabolismo cerebral. Perdas de neurônios e como consequência redução de 50% das sinapses a partir dos 80 anos. Fatores que são importantes fatores de risco para quadros de doenças neurodegenerativas como a demência.

Estudos científicos mostram como ainda é um mistério o cérebro humano, quando se trata de estudar suas capacidades, sobretudo o comportamento humano. Cada um dos neurônios tem um papel muito específico. A atividade de um deles influencia a atividade de milhares de outras células. Dessa forma, torna-se evidente que os caminhos dos impulsos nervosos tomam circuitos diferentes em diferentes momentos, e que podem variar em diferentes regiões do cérebro, seja para uma atividade sensorial ou motora. Daí que surge a grande variabilidade do comportamento humano.

Antigamente, a plasticidade era considerada em função da idade, estando diminuída no sistema nervoso do adulto. Hoje já é cada vez mais possível acreditar que o sistema nervoso do adulto é sim capaz de modificações e adaptações. Essas modificações desempenham função importantíssima no aprimoramento da memória, na reabilitação para recuperação de funções perdidas em casos de lesões, e para aprendizagem e na adaptação às mudanças ambientais.

Programas de aprimoramento cognitivo e treinamento de memória possibilitam reverter ou compensar falhas de memória. Estudos sobre treinamento da memória comprovam que técnicas ou estratégias de memorização podem aumentar a eficácia da gravação da informação. Mas para obter bons resultados para a neuroplasticidade da memória, é importante utilizar mais de uma técnica durante o treinamento de memória e também estimular outras funções como atenção, concentração, linguagem, cálculo, o raciocínio abstrato, a criatividade, etc...

O funcionamento mental implica nas capacidades de pensar, lembrar, raciocinar, formar estruturas complexas de pensamento, decidir, resolver problemas e, enfim, produzir respostas adaptativas às solicitações do ambiente. Tais capacidades do ser humano são influenciadas por características pessoais e individuais, como idade, educação, interesses, estilo de vida, saúde, atividades que o indivíduo desenvolve, quantidade de estímulo a que é exposto, além de aspectos emocionais e condições sócioculturais.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Quem sou eu? Já me perguntei isso milhões de vezes... E claro tive milhões de resposta diferentes, porque estou sempre em processo de metamofose...
Eu gosto do estranho, do incomum. Gosto daquilo que confunde, que permite diferentes interpretações, que fica nas entrelinhas. (...)
Martha Medeiros

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Maria era culta ou iletrada? Esta é outra questão que não é fácil de ser respondida. Nos dias de hoje dizemos que uma pessoa é culta se ela tem o hábito de ler e estudar, se tem muita informação intelectual. Entretanto, no que diz respeito ao primeiro século de nossa era o julgamento não pode ser feito desta forma. Neste século, o marcado pela vida física de Jesus, grande era o percentual de analfabetismo. Quase não haviam livros para serem lidos, e era caríssima a produção de um, desta forma, não era qualquer pessoa que tinha acesso a livros, sendo assim, poucos sabiam ler, e muito menos ainda os que tinham o hábito de estudar como fazemos hoje. Porém, não podemos dizer por isso que eram mal informados os habitantes da Palestina daquela época. O processo de aprendizado era diferente, o que tínhamos era uma cultura oral; as cartas de Paulo eram lidas na comunidade cristã através de uma leitura coletiva, muitos apenas ouviam o que este valoroso apóstolo escreveu. Tal hábito fazia com que a memória destes que se dedicavam ao estudo das escrituras fosse de grande capacidade, pois era preciso saber os textos de cor já que nem sempre era possível lê-los. Portanto, saber ler não era pré-requisito para se ter cultura. Além disso, em se tratando de uma mulher na palestina no tempo de Jesus, eram bem poucas as chances de que a ela fosse dada a oportunidade de saber ler. Assim, do ponto de vista de percentuais, grande é a chance de Maria não ter sido alfabetizada, o que não estamos querendo dizer com isso, que não tenha sido. Apenas dizemos de probabilidades. O que é certo, e podemos dizer com total segurança, é que a Mãe de Nosso Senhor tinha grande cultura, e muito mais ainda, uma cultura espiritual, uma espiritualidade inteligente. Muitos chegam a dizer que Maria teria sido educada no Templo, que era não só boa leitora, como também, boa redatora. É possível, porém, não certo. Não estamos querendo trabalhar com hipóteses. No tempo de Maria, o judaísmo não era simplesmente uma religião, era uma cultura. Entre os hebreus não se podia escolher a que religião seguir, simplesmente eram judeus. Não havia shoppings, cinemas, teatros, ou outras diversões quaisquer, o que havia era uma sinagoga, e que todos frequentavam, a sinagoga era a vida das pessoas. Nazaré era uma pequena cidade, a sinagoga deveria ser próximo de tudo, e era ali onde eles aprendiam e praticavam seus princípios de moral elevada. Como dissemos Maria era um Espírito elevado e sem comprometimentos no campo expiatório, por isso aprendia fácil, com certeza memorizava bem, e vivenciava o que aprendia, não era culta dentro de nosso padrão atual, era sábia. Por que podemos dizer isso com certeza? O Evangelho nos dá mostra disso a toda hora, e além do mais, Maria foi a educadora do maior Sábio de todos os tempos, e só isso bastaria para dizer que ela foi entre todas a melhor educadora. (continua no próximo estudo...) Autor: Claudio Fajardo de Castro (Juiz de Fora/MG)

domingo, 11 de dezembro de 2011

Estância Climática Analândia

ERRATA:Corrigindo um erro que um leitor do blog me alertou o nome correto é: Estância Climática de Analândia e a foto é do banheiro da praça,tudo muito limpo e todos têm acesso,serve de incentivo para outra cidades né COSMÓPOLIS? Obrigada Vitor Oliveira pela colaboração.Abçs
Analândia onde a natureza faz a diferença
Cada dia um pobre velho entrava na igreja e poucos minutos depois saia. Um dia, o zelador desconfiado lhe perguntou o que fazia, pois na igreja havia muitos objetos de valor. - Venho orar, respondeu o velho. -Mas é estanho como é que você consegue orar em tão pouco tempo, lhe disse o zelador. -Bem – retrucou o velho – é que eu não sei orar essas orações compridas, mas todo o dia ao meio dia eu entro na igreja e só falo: “Oi Jesus, eu sou o Zé, vim te visitar”. Num minuto já estou de saída. É só uma oraçãozinha, mas tenho certeza que ele ouve. Certo dia Zé sofreu um acidente e foi internado num hospital e passou a e passou a ter uma influencia alegre sobre os demais doentes e muitos sorrisos haviam nos lábios dos outros companheiros da enfermaria. Conversando com ele a enfermeira lhe disse: -Zé, os outros gostam muito de você e dizem que você está sempre tão alegre... -É verdade enfermeira, estou sempre alegre, é por causa daquela visita que recebo todo dia, me faz feliz. A enfermeira não entendeu. A cadeira encostada na cama estava sempre vazia, o Zé era um velho solitário, sem ninguém. -Visita? Que visita? A que horas? -Todos os dias, - respondeu o Zé com um brilho nos olhos – todo dia ao meio dia ele vem, fica ao pé da cama, quando olho para ele, ele sorrir e me diz: “Oi Zé, eu sou Jesus, eu vim te visitar!”.
Escrito por Victor Rebelo - (RCE - Setembro de 2011) A doutrina espírita surgiu com base nas pesquisas e experimentações – apesar de não serem reconhecidas pela Ciência – de Allan Kardec, o codificador. Muitas informações que ela nos traz não são novas. Vários povos, nos mais distantes pontos do planeta e em diversas épocas, já eram possuidores de certas revelações trazidas pelos espíritos, pois a mediunidade não é exclusividade do Espiritismo. Por isso, a Revista Cristã de Espiritismo, apesar de ter como ponto de partida a codificação, também procura apresentar outros conceitos espiritualistas, a fim de que o leitor possa aprofundar seus conhecimentos gerais na área da espiritualidade. No Oriente, sempre se buscou o contato interior com a espiritualidade, mas a mentalidade materialista do Ocidente, aguçada pelos avanços científicos do Século XIX, não aceitava nenhuma religião que não passasse pelo mesmo processo de investigação empírica da Ciência. Por isso, foi instaurado, na América e Europa, partindo do mundo espiritual, o movimento espírita, com o objetivo de, à princípio, provar cientificamente, pelos fatos que se apresentavam, a existência do mundo espiritual e dos espíritos. Uma vez demonstrada sua realidade, viria o objetivo mais nobre desta doutrina: consolar a alma humana! William Crookes, Ernesto Bozzano, Léon Denis, Kardec – além de outros grandes pesquisadores – analisaram as comunicações com os espíritos, atestando sua veracidade. Hoje, raros espíritas realizam pesquisas; alguns, através da Transcomunicação Instrumental, vêm obtendo bons resultados. Assim também é com as práticas e técnicas de projeção astral. Para os “kardecistas” – ou seja, dogmáticos – já demonstramos que Kardec jamais condenou sua prática (veja no capítulo sobre Emancipação da Alma, em O Livro dos Espíritos). Muito pelo contrário: colocou a projeção fora do corpo como algo natural, uma capacidade do espírito, independente de religião. Até os animais se projetam! Portanto, seja através de pesquisas ou por meio de técnicas e práticas individuais, precisamos manter um contato mais direto com os espíritos. Ainda que nem todos sejamos médiuns ostensivos, todos sentimos em maior ou menor grau a influência dos espíritos. Práticas de bioenergia, técnicas para desenvolver a clarividência... tudo isso independe da mediunidade em si. Claro que o desenvolvimento da nossa sensibilidade parapsíquica deve ser natural, com muito estudo e acompanhamento, mas, não basta praticarmos um “Espiritismo sem espíritos”. Estudar ou saber de cor os conceitos espíritas é pouco. Transcenda seus limites! Exerça sua mediunidade, procure aprender sobre projeção astral, aprenda técnicas para harmonizar a aura ou desenvolver a clarividência... Os que nunca se aprofundaram vão dizer que é perigoso. Não desista! Ao contrário, procure ler a respeito e busque aprender com quem tem experiência. Cabe a cada um de nós tirarmos grandes lições para o nosso crescimento e servirmos como ferramentas mais úteis ao progresso da humanidade. Paz, Amor e Harmonia!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Não foi assim facinho não! No início, Eva não queria comer a fruta. — Come — disse a serpente astuta! — e serás como os anjos! — Não — respondeu Eva. Virando a cara para o lado! — Terás o conhecimento do Bem e do Mal — insistiu a víbora. — Cruzou os braços, olhou bem na cara da serpente e respondeu firme: Não! — Serás imortal. — Não! Já disse! — Serás como Deus! — Não, e não! Já disse que não! Irritadíssima, quase enfiando a fruta goela abaixo, a serpente já estava desesperada e não sabia mais o que fazer para que aquela mulher, de princípios tão rígidos e personalidade tão forte comesse a fruta. Até que teve uma idéia, já que nenhum dos argumentos haviam funcionado... Ofereceu novamente a fruta e disse com um sorrisinho maroto: — Come, boba... EMAGRECE! Foi tiro e queda!

sábado, 29 de outubro de 2011

Não sei as vezes penso cada coisa...tudo sem nexo,complexo deve ser reflexo dessa minha desconexia,não me importo com coerências descritivas. Por isso tudo que não acaba. É um mistério que continua... (de mim pra mim mesma).

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

"Amanheci em cólera. Não, não, o mundo não me agrada. A maioria das pessoas estão mortas e não sabem, ou estão vivas com charlatanismo. E o amor, em vez de dar, exige. E quem gosta de nós quer que sejamos alguma coisa de que eles precisam. Mentir dá remorso. E não mentir é um dom que o mundo não merece..." Clarice Lispector

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O que uma escritora Holandesa falou do Brasil! Leia com atenção. Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos. Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado. Só existe uma companhia telefônica e pasmem!: Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado. Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne. Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta. Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador. Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de ‘Como conquistar o Cliente’. Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos.. Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa. Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc… Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais. Os dados são da Antropos Consulting: 1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial. 2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma. 3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária. 4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo. 5.. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina. 6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma. 7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando. 8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês. 9.Telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas.. 10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO-9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México, são apenas 300 empresas e 265 na Argentina. 11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos. Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil? 1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano? 2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta? 3. Que suas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiais? 4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários? 5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo? 6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados? 7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem? Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando. É! O Brasil é um país abençoado de fato. Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos. Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques. Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente. Bendita seja, querida pátria chamada Brasil! De: Bruno Chaves

terça-feira, 25 de outubro de 2011

[] "Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro se esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem o presente, nem o futuro. E vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como se nunca tivessem vivido." Dalai Lama
Ouça: respeite mesmo o que é ruim em você - respeite sobretudo o que imagina que é ruim em você - não copie uma pessoa ideal, copie você mesma - é esse seu único meio de viver. Juro por Deus que, se houvesse um céu, uma pessoa que se sacrificou por covardia ia ser punida e iria para um inferno qualquer. Se é que uma vida morna não é ser punida por essa mesma mornidão. Pegue para você o que lhe pertence, e o que lhe pertence é tudo o que sua vida exige. Parece uma vida amoral. Mas o que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesma. Gostaria mesmo que você me visse e assistisse minha vida sem eu saber. Ver o que pode suceder quando se pactua com a comodidade da alma. Clarice Lispector
Pertencer "Mesmo minhas alegrias, como são solitárias às vezes. E uma alegria solitária pode se tornar patética. É como ficar com um presente todo embrulhado com papel enfeitado de presente nas mãos - e não ter a quem dizer: tome, é seu, abra-o! Não querendo me ver em situações patéticas e, por uma espécie de contenção, evitando o tom de tragédia, então raramente embrulho com papel de presente os meus sentimentos." Clarice Lispector
Viver em sociedade é um desafio porque às vezes ficamos presos a determinadas normas que nos obrigam a seguir regras limitadoras do nosso ser ou do nosso não-ser... Quero dizer com isso que nós temos, no mínimo, duas personalidades: a objetiva, que todos ao nosso redor conhece; e a subjetiva... Em alguns momentos, esta se mostra tão misteriosa que se perguntarmos - Quem somos? Não saberemos dizer ao certo!!! Agora de uma coisa eu tenho certeza: sempre devemos ser autênticos, as pessoas precisam nos aceitar pelo que somos e não pelo que parecemos ser... Aqui reside o eterno conflito da aparência x essência. E você... O que pensa disso? Que desafio, hein? "... Nunca sofra por não ser uma coisa ou por sê-la..." (Perto do Coração Selvagem - p.55) Clarice Lispector

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Eu sei.Tenho que ser forte,tenho que seguir em frente...-Pra onde? Onde quero chegar? O que eu procuro?Eu estou a procura de mim,eu me perdi e quero me encontrar. Quando eu estiver comigo eu... recomeço!!!

domingo, 23 de outubro de 2011

SELOS:

SELOS:
http://www.recadosface.com/ver/verimagem.php?codigo=9710
Entendendo as necessidades de separação Não tire conclusões precipitadas! Alamar Régis de Carvalho (São Paulo–SP) "O divórcio é lei humana que tem por objeto separar legalmente o que já, de fato, está separado. Não é contrário à lei de Deus, pois que apenas reforma o que os homens hão feito e só é aplicável nos casos em que não se levou em conta a lei divina." (Cap. XXII, Item 5, de "O Evangelho Segundo o Espiritismo".) Sei que é duro e até doloroso alguém pensar em separação, no movimento espírita, da mesma maneira como é também duro e doloroso ver um casal, que tem filhos, ter que se separar. Coitadinha das crianças, como elas vão ficar com os seus pais separados? Mas é uma realidade, ninguém pode pretender que, em nome dessa “caridade” para com as crianças, os pais continuem "juntos", sob o mesmo teto, brigando, se agredindo mutuamente e até na iminência de ocorrer males piores, como pode ser o fato de um dos dois chegar ao extremo e cometer uma loucura. É preciso que as pessoas encarem esta realidade. A doutrina espírita, na sua lucidez e coerência, entende a necessidade do divórcio, porque, como ela mesma diz, “o objetivo é separar, legalmente, o que DE FATO, JÁ ESTÁ SEPARADO”. Será coerente que nós, espíritas, nos apeguemos em citações do tipo “Que o homem não separe o que Deus juntou”? Quem disse que foi Deus quem juntou? Qual é o espírita, que vai querer ser contra a doutrina espírita, por ser a favor da separação, pelo divórcio? O divórcio não separa, apenas LEGALIZA o que de fato já está separado. A proposta de divisão do movimento espírita É feita, lucidamente, com base nessa mesma linha de raciocínio que o Espiritismo nos dá. Gente, não é o Alamar que está inventando separação nenhuma no movimento espírita, esta separação já existe, DESDE O TEMPO DE KARDEC!!! Será possível que o movimento espírita é tão despreparado assim, que não conhece os relatos feitos pelo próprio Allan Kardec, falando das canalhices que os espíritas do seu tempo fizeram com ele? Será preciso relacionar, mais uma vez, neste e-mail, a quantidade de momentos violentos, intolerantes, injustos e desumanos dos espíritas para com ele e as reações dele, colocadas muito claramente em “Obras Póstumas” e na “Revista Espírita”? Que me desculpem os amigos queridos que me mandam e-mails do tipo: - “Alamar, acalme-se, aquiete a sua alma”. - “Alamar, volte a sua mente para o lado bom, vamos olhar o lado bom!” - “Escreva sobre coisas que constroem” - “Você deve estar passando por um momento difícil...” Tenham a santa paciência, mas será que diante de um fato tão sério, nós vamos resolver este problema com essas “bondades” aparentes que muitos espíritas gostam de usar? Será que é caso de “aquietar alma”, “olhar lado bom” e ficar nessa onda de fingimento, como se nada estivesse acontecendo? Se um médico está cuidando, por exemplo, de um pulmão danificado por um enfizema, teria alguma coerência uma pessoa dirigir-se a ele e sugerir que esqueça aquele órgão doente, sob a argumentação de olhar para o estômago, os rins, os olhos e os intestinos do paciente, que estão bons e não têm problema nenhum? O movimento espírita tem cada mania besta, que termina levando o Espiritismo ao ridículo. A separação já existe. Por que temos que ficar fingindo que não estamos vendo? Os níveis de agressões e intolerâncias continuam cada vez mais crescentes, sobretudo com a facilidade da internet, que permite, inclusive, que gente extremamente frustrada, derrame todo o seu veneno e descarregue todos os seus traumas e frustrações promovidos pelas suas incompetências. Vejamos algumas coisinhas: Hoje todo espírita adora o Dr. Bezerra de Menezes, que é tratado como um santo, muita gente tem foto dele nas paredes dos centros e alguns só faltam acender velas e adorá-lo. Mas, quando ele estava encarnado, será que existia essa unanimidade toda? Claro que não. Muito pelo contrário, as lideranças espíritas da época infernizaram a vida dele, que também foi vítima das mais sórdidas acusações e calúnias, como, por exemplo, a de querer tirar proveito político à custa da doutrina. Se o próprio Kardec não foi poupado, como o Bezerra seria? Chico Xavier sofreu a mesma coisa. Hoje está tudo mundo aí concebendo-o como São Chico Xavier, alguns chegando ao ponto de considerarem a sua obra como mais importante para o Espiritismo que a de Kardec, outros dizendo, inclusive, que ele fora o próprio Kardec reencarnado e todo tipo de adoração que você pode imaginar. Está aí, inclusive, o evento “Amigos do Chico Xavier”, um evento carinhoso mas que alguns o tem como uma verdadeira adoração. Só mesmo espíritas muito desinformados para não saber o que ele passou, na mão e na língua dos espíritas, principalmente no período que se mudou de Pedro Leopoldo para Uberaba. Assim foi também com Cairbar Schutel, Leopoldo Machado, Deolindo Amorim, Dona Yvone Pereira e todos os outros. Não teve um, sequer, que não sofresse na língua do movimento! Agora, a bola da vez é Divaldo Franco, que ainda está encarnado. Um monte de idiotas, querendo atingi-lo, pessoalmente, resolveu partir para a onda de ataques aos eventos espíritas, realizados em locais confortáveis, que tem despesas e que, por conta disto, precisam ser cobradas taxas de inscrição. Sempre insinuam, maldosamente, que alguém está querendo ficar rico a custa do evento espírita, insinuação essa que traz o mesmo veneno daqueles que diziam que Kardec estava ficando rico, à custa da doutrina. Impressionante essa palhaçada de acharem sempre que alguém está ficando rico, à custa do Espiritismo. Em que mundo isto seria possível? Divaldo nunca teve qualquer afinidade com luxo, nunca exigiu luxo e até as lindas gravatas que ele usa... (falar nisto, vocês já perceberam as gravatas que ele vem usando, ultimamente? E o Raul Teixeira também. Quem não observou, que observe)... são presenteadas por amigos queridos, como uma forma de, carinhosamente, dizerem muito obrigado por tanto o quanto eles representam para todos nós. Quem conhece a “Casa Grande”, que é o cantinho dele, na Mansão do Caminho, como eu conheço, sabe muito bem como ele vive, o que tem lá e como é a vida dele. No entanto, esses palhaços de mau gosto, tentam dar uma conotação, para jogar as pessoas contra ele, fazendo entender que a sua casa deve ser coisa mais ou menos igual às mansões suntuosas do Edir Macedo, cheias de luxo e ostentações. Quando é que vai parar isto? O movimento espírita já está dividindo, há muito tempo! Há segmentos que é contra tudo e contra todos; há segmentos que odeiam obras, odeiam médiuns, odeiam talvez até a si mesmos; outros se acham no direito de viver patrulhando a vida dos outros e a pretender determinar como os outros devem ou não devem praticar o Espiritismo; uns querem espiritismo de comportamento teatralizado e fingido, outros querem um espiritismo de verdade, com comportamento autêntico, sem máscaras e sem hipocrisia nenhuma... Como é que pode gente com essa heterogeneidade de cabeças poder conviver juntas? Não dá mesmo. A melhor alternativa é que as DIVERSAS CABEÇAS ESPÍRITAS se organizem, nos grupos afins, pessoas que têm as mesmas visões, e sigam os seus caminhos sem encherem a paciência de ninguém e também sem serem incomodadas por ninguém. Do mesmo jeito que os Presbiterianos seguem a Bíblia conforme as suas interpretações e os Adventistas seguem conforme outro entendimento, sem se chocarem, façamos o mesmo. Eu, como personalidade espírita, por exemplo, não vou admitir de forma alguma que o segmento espírita xiita venha querer fazer de mim um fantoche das suas interpretações, nunca, porque estaria subestimando a minha inteligência, a minha capacidade de estudar Kardec e a profundidade da doutrina. Tenho certeza de que milhões de espíritas pensam como eu, assim como outros milhões, talvez, pensem também como os xiitas, como os arautos da apologia ao sofrimento, à mania da pobreza, à mania de patrulhar a vida dos outros, ao achar que tudo tem que ser dado de graça e que vêem o planeta Terra como penitenciária. Não foi o Alamar quem inventou essa diversidade de pensamentos, ela existe e é fato. Têm espíritas que fazem preces com um olho aberto e outro fechado, achando que assim estão seguindo o “Orai e Vigiai” que está no Evangelho e não tem que os convençam que orar e vigiar é totalmente diferente disto. Cada um quer fazer o Espiritismo à sua moda. Qualquer pessoa pode fundar um centro espírita numa garagem, num local qualquer, tenha ou não experiência, tenha ou não estudo e entendimento da doutrina, tenha ou não bom senso e o faz conforme aquilo que tem na cabeça. Bastar ficar insatisfeita com o centro onde freqüenta, sai e pronto. É ou não é assim? Muitos espíritas abrem o Evangelho, sempre AO MEIO, dizem que foram os espíritos que mandaram abrir ali, saem dizendo “Estou melhor do que mereço” e pronto. Acham que sabem tudo sobre Espiritismo. Mas não fiquemos pensando que isto é coisa só de “gentinha” não, porque tem muita gente à frente de instituições espíritas, INCLUSIVE GRANDES, que não estão muito acima disto. E haja condenar, criticar, patrulhar, proibir, censurar, boicotar, sabotar, determinar que livro deve ser lido e qual palestrante deve ser escutado... etc. Gente. Se aparece alguém, na televisão, em palestras e em livros para dizer, por exemplo, que espírita não é obrigado a se vestir de branco em mediúnicas, é natural que, automaticamente, os dirigentes de centros espíritas, que ainda estabelecem esse tipo de padrão, passem a odiar o alguém que disse isto. Se você diz que ninguém é obrigado a virar as mãos para cima, para receber os passes, a abrir a garrafa para a água ser magnetizada, ficar de olhos fechados para a prece e todas essas coisas, vão ficar com raiva e até odiar esse alguém. É exatamente o que aconteceu com o Alamar, que audaciosamente invadiu o Brasil inteiro, através do satélite chegando às parabólicas de milhares ou talvez milhões de pessoas, dizendo coisas, tanto ele quanto os seus entrevistados, que não agradaram a muitos malucos que estão à frente de instituições espíritas. O Alamar fez o freqüentador de centro espírita não ter medo do dirigente, não aceitar doutrina do “porque sim” e do “porque não”, a enfrentar, a questionar e a discordar de coisas absurdas. Bateu de frente com o "dono de centro espírita", "dono do movimento espírita da cidade ou do estado". Daí a razão pela qual muitos tem verdadeiro pavor, porque querem que os freqüentadores das suas casas continuem cegos, monitorados pelos seus controles remotos. Só cegos para não perceberem esta realidade. A separação se faz necessária, sim, ela já existe e basta oficializar. Com um forte abraçãooooooo. Alamar Régis Carvalho www.redevisao.net www.alamarregis.com

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

domingo, 16 de outubro de 2011

Cara Lina Maria Chaves, A sua vida é aquilo que faz dela. A sua felicidade depende principalmente da sua atitude na vida e, nomeadamente, do teor e da qualidade dos seus pensamentos e ideias, que são mais poderosos do que aquilo que possa pensar. São até as suas principais armas para levar a existência que deseja ter. Você não vê o mundo tal como ele é, mas como a sua mente o vê. Dito de outra forma, todas as suas perceções têm um papel de filtro entre a realidade e você. O mundo é aquilo que pensa dele. Se pensar mal dele, não poderá progredir. Assim, os seus pensamentos influenciam a sua existência e todo o seu ambiente. Poderá ser feliz ou infeliz em função do teor positivo ou negativo das suas ideias. Para tornar as suas ideias o mais fortes possível, é preciso positivá-las ao máximo. Quando uma ideia negativa vier, deixe-a vir; quando partir, deixe-a partir. Aja com as suas ideias negativas como com um cavalo. Tal como faríamos com um cavalo selvagem, é preciso acalmar os seus pensamentos negativos. Se os mantiver na sua mente, andarão às voltas como um cavalo fechado num picadeiro. Se deixar o cavalo sair do picadeiro, ele irá correr em espaços vastos e, na altura certa, acalmar-se-á e tornar-se-á tranquilo. Para uma ideia negativa, faça a mesma coisa: não a prenda. Deixe-a partir e sair do picadeiro da sua mente. Se ela resistir, emita imediatamente um pensamento positivo sobre alguma coisa positiva que gostaria de fazer. Esta reação, com um pouco de treino, afastará a ideia negativa. Ao fim de algum tempo, a sua mente irá acalmar-se sozinha e as ideias negativas desaparecerão. Terá assumido o controlo da sua mente e poderá mudar a sua existência e o mundo à sua volta. A sua amiga dedicada, Tara

sábado, 15 de outubro de 2011

Acalma-te. O teu sofrimento terá o tamanho da tua aflição. Todo desespero é fator agravante das provações. Não te revoltes. A dor sempre encerra preciosa lição. Quantos, em silêncio, estarão chorando neste exato momento? E quantos haveriam de sorrir, se se encontrassem na situação que consideras de extrema dificuldade? Porventura, não estarias te queixando além da justa medida? Pacifica-te interiormente e, por mais complexos, terás os teus problemas reduzidos à metade. De um minuto para outro, o que se alterou para pior, pode vir a se alterar para melhor. Sintoniza-te com as forças que, incessantemente, conspiram em teu favor, em todo o Universo. Abandona a tendência de ver sombra onde existe luz. Postado por Dothy
Penso que pensar é pensável, que um pensamento pensado por um pensador pensante pode se tornar um grande pensamento.

domingo, 9 de outubro de 2011

Domingo eu aqui lá fora chove, olho à minha volta e vejo:NADA - tudo é muito vago,sem consistência,abstrato.Cansei de ser eu quero ser EU,preciso me encontrar lá dentro bem no fundo sei que estou lá,no fundo da caverna eu vejo uma luz,vejo sombras andando passando pra lá e pra cá.A vida está lá,preciso me livrar dessas amarras,soltar essas correntes...sei que consigo que posso.Eu só tenho que caminhar em direção a luz,já dei o primeiro passo a caminhada é longa,não posso parar...mesmo que isso me custe muito,mesmo que a caminhada seja lenta...o que importa é que estou caminhando,caminhando,caminhando,caminhando,caminhando, ca-mi-nhan-do...
Steve Jobs já havia nos deixado um mundo totalmente diferente daquele que encontrou, ainda em vida, com suas maravilhosas criações tecnológicas . Além de provocar mudanças de conceitos que tínhamos sobre alguns usos da Internet ,celular e maneira de ouvir música . Mas com aquele famoso discurso de 2005 em Stanford ,que todo mundo foi rever porque quando aconteceu ninguém deu muita atenção , ele deixou muito claro os valores que o fizeram chegar aonde chegou ,os valores que moldaram sua personalidade e seu caráter. Além de sua incrível criatividade, obstinação pela inovação ,busca incansável pela perfeição e qualidade nos produtos que criou , ele nos presenteou ainda com importantes pistas do brilhante caminho que o fez chegar onde chegou. Incrível como que com tanta simplicidade de linguagem e clareza de idéias ele transmitiu tão poderosa mensagem de vida ,superação e determinação .Talvez aí esteja uma de suas maiores características, a maneira simples e positiva de encarar o propósito de sua vida. A Determinação com que se empenhou em buscar o conhecimento ,mesmo sem ter condições de estudar regularmente, é uma característica marcante de sua personalidade. A humildade com que aceitou a demissão da empresa que ele próprio criou , e reconheceu que tinha ainda muita coisa pra aprender , fez com que retomasse vida de empreendedor e recomeçasse do zero.. A capacidade de aprender sempre é um ensinamento fantástico que este fenomenal empreendedor nos deixa como exemplo . Aprendeu com o fracasso empresarial e com a possibilidade da morte e mudou sua forma de viver a vida . Sem dúvida alguma , seu perfil de empreendedor, a capacidade de cometer erros em busca de algo maior , sem esmorecer , é muito marcante em sua personalidade. Viver cada dia como se fosse o último, Amar o que você faz , trabalhar segundo seus sonhos, não viver a vida de outros , seguir o que o seu coração diz e “ Stay hungry and stay foolish” são sem dúvida alguma simples lições mas com poderosa força de transformação. Steve Jobs provocou grandes transformações no nosso mundo a partir de lições muito simples. Nos deixou a maior de todas as heranças, acreditar no poder de transformação , acreditar , acreditar e acreditar . A pergunta que fica é como estas mensagens tão simples (e poderosas),que chegam à maioria das pessoas , quase que todos os dias , sensibilizou tão profundamente esse gênio da tecnologia moderna e o motivou a trabalhar e viver segundo estes ensinamentos ,e a criar tamanha transformação na humanidade ? Acredito que ainda teremos muitas teorias ,estudos e debates sobre tudo isso por muitos e muitos anos. Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Há tantas coisas que eu quero esquecer,tantas coisas que eu quero extirpar da minha memória como se extirpa um furúnculo; espremer,espremer,espremer até que tudo fique limpo,vazio.São tantas mágoas,tantas tristezas,tantos momentos que quero apagar da minha memória como se apaga uma frase escrita a lápis numa folha de papel,são feridas que ainda estão abertas e que doem,doem muito.Cada dia é uma batalha,uma luta sofro sozinha ,calada, pois sei que nada é por acaso,sou responsável por tudo aquilo que cativei e cada um tem o tempo certo,não podemos atropelar esse tempo."Há tempo para todas as coisas debaixo do sol"(Salomão).
Há tantas coisas que eu quero esquecer,tantas coisas que eu quero extirpar da minha memória como se extirpa um furúnculo; espremer,espremer,espremer até que tudo fique limpo,vazio.São tantas mágoas,tantas tristezas,tantos momentos que quero apagar da minha memória como se apaga uma frase escrita a lápis numa folha de papel,são feridas que ainda estão abertas e que doem,doem muito.Cada dia é uma batalha,uma luta sofro sozinha ,calada, pois sei que nada é por acaso,sou por tudo aquilo que cativei e cada um tem o tempo certo,não poemos atropelar esse tempo."Há tempo para todas as coisas debaixo do sol"(Salomão).

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

A confiança é fruto de um relacionamento em que você sabe que é amado. Como não sabe que eu o amo, não pode confiar em mim. A Cabana

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, pude relaxar. Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima. Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades. Hoje sei que isso é...Autenticidade. Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Hoje chamo isso de... Amadurecimento. Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome disso é... Respeito. Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que se chama... Amor-próprio. Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro. Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo. Hoje sei que isso é... Simplicidade. Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes. Hoje descobri a... Humildade. Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece. Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude. Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada. Tudo isso é... Saber viver!!! Charles Chaplin

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

"Pensa! O pensamento tem poder. Mas não adianta só pensar. Você também tem que dizer! Diz! Porque as palavras têm poder. Mas não adianta só dizer. Você também tem que fazer! Faz! Porque você só vai saber se o final vai ser feliz depois que tudo acontecer." Gabriel Pensador

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Na fila do supermercado, o caixa diz uma senhora idosa: - A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis com o ambiente. A senhora pediu desculpas e disse: - Não havia essa onda verde no meu tempo. O empregado respondeu: - Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com o nosso ambiente. - Você está certo - responde a velha senhora - nossa geração não se preocupou adequadamente com o ambiente. Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes. Realmente não nos preocupamos com o ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhávamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões. Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o ambiente. Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas. Mas é verdade: não havia preocupação com o ambiente, naqueles dias. Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como? Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plastico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar. Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade. Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o ambiente. Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos. Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Abandonamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lâmina ficou sem corte. Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima. Então, não é risível que a atual geração fale tanto em "meio ambiente", mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época? Ricardo Takeshi Yagi.
Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele ou por sua origem, ou sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender. E se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano do que o seu oposto. A bondade humana é uma chama que pode ser oculta, jamais extinta." (Nelson Mandela)

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Eita vida Louca As vezes tudo dá certo As vezes tudo dá errado Se tem chuva eu quero sol Se tem sol eu quero chuva Se está dia eu quero a noite Se está noite eu quero o dia As vezes começa certo mas nós mesmos estragamos tudo As vezes é o tudo que nos estraga.
Loucura é qualidade. Só os loucos possuem uma visão perfeita do mundo. Eles enxergam o que os normais seres humanos não conseguem vê. Eles aplaudem o que para os estranhos não há graça. Eles são loucos e os estranhos são apenas humanos.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

ISTO OU AQUILO (Cecília Meirel)

. Ou se tem chuva e não se tem sol ou se tem sol e não se tem chuva! Ou se calça a luva e não se põe o anel, ou se põe o anel e não se calça a luva! Quem sobe nos ares não fica no chão, quem fica no chão não sobe nos ares. É uma grande pena que não se possa estar ao mesmo tempo em dois lugares! Ou guardo o dinheiro e não compro o doce, ou compro o doce e gasto o dinheiro. Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo . . . e vivo escolhendo o dia inteiro! Não sei se brinco, não sei se estudo, se saio correndo ou fico tranqüilo. Mas não consegui entender ainda qual é melhor: se é isto ou aquilo. .

domingo, 18 de setembro de 2011

Onde está o Meu Mentor ?

Nota-se uma certa tendência, na atualidade, das pessoas incorporarem, às suas vidas, novas idéias ou conhecimentos relativos à vida espiritual. Estamos na "nova era" e todos já devem estar cansados de ouvir - e ler - que as coisas estão mudando e que o intercâmbio entre os mundos físico e espiritual tende a aumentar. Nosso povo, conhecido pela facilidade de familiarizar-se com todos e com tudo, tem feito muitas "amizades" com os irmãos do "lado de lá". Como a Doutrina Espírita é muito difundida por aqui, e diversas são as lições aprendidas por nós, alguns fatos têm se tornado muito popularizados e tratados de uma forma interessante, para quem se atenta a observar. Dentre vários desses assuntos, o que nos chama mais a atenção, nesse momento, é o relacionado com o Mentor. Guias, Anjos da Guarda, Mestres interiores, etc, nunca estiveram tão popularizados e tão íntimos como atualmente, na visão espírita de Mentor. Quando, em "O Livro dos Espíritos" de Allan Kardec, lemos as observações relativas a esses nossos amigos e protetores invisíveis, observamos a seriedade e o respeito com que Kardec se dirige a eles. No livro "Nosso Lar", ditado pelo espírito de André Luiz a Chico Xavier, esse respeito e seriedade ficam muito mais evidentes, principalmente quando nos mostram o trabalho desses abnegados servidores do Cristo, de uma forma mais abrangente. Observem que conotamos os mentores como "servidores do Cristo", e não "nossos servidores". Embora possa parecer o óbvio, não é o que acontece na prática. Somos surpreendidos, às vezes, ouvindo alguém dizer: "Onde estava meu mentor para deixar isso acontecer?" "Meu mentor é meu amigo, ele fecha os olhos para algumas coisas"; "Se faço algo errado, não há problema, pois meu mentor me conhece e sabe que não fiz por mal". Há também aqueles que, por estudarem superficialmente a Doutrina, acabam confundido - ou não - sua própria vontade e decisões com o que supõem ser a vontade do mentor. Tentam impor suas idéias e conceitos e, para dar o cunho de "ordem superior", concluindo seus argumentos com a célebre frase: ▬ "Quem me pede para assim dizer é o meu mentor!" Kardec demonstrou-nos, pela sua obra e, principalmente pela sua conduta, que a razão deve ser sempre utilizada quando tratar-se de intercâmbio entre os planos, pois além de ser um campo que necessita de muito estudo de nossa parte, podemos ainda, receber a influência de entidades espirituais que se aproveitem desse nosso descuido e causem danos a nós e aos outros. ▬ A vida, quando encarnados, é de suma importância para o nosso progresso evolutivo. Toda ela é planejada exaustivamente pelos espíritos superiores, preocupados em que tenhamos um bom aproveitamento. Além disso, para que tenhamos sempre uma orientação segura no nosso caminho, permitem, por determinação do Altíssimo, que Espíritos sérios, evangelizados e cientes das realidades eternas, nos acompanhem na caminhada terrena. ▬ Desnecessário deveria ser, enfatizar o respeito e gratidão que todos nós devemos a esses irmãos. Ensinaram-nos os espíritos, através da razão de Kardec, que quando atribulações se apresentem às nossas vidas, devemos ter a certeza de que será apenas um remédio amargo, mas necessário para a saúde do espírito, e que, com a fé e a paciência que o Evangelho nos ensina (e que os mentores fazem o possível para lembrar-nos), em breve passarão. ▬ Quem é nosso mentor, é uma curiosidade que muitos têm e desnecessária, por sua vez. Grandes espíritos passaram anônimos pelo planeta, realizando grandes tarefas pela humanidade e muitos outros continuam realizando da mesma forma. O importante é entendermos - e praticarmos - os ensinamentos contidos na doutrina que abraçamos. Respeitar e amar o nosso próximo é um dos grandes ensinamentos de Jesus, e pelo que aprendemos no Espiritismo: ▬ Será que existe alguém mais próximo a nós do que o mentor? Humberto Pazian: Terapeuta, estudioso do espiritismo e espiritualismo há muitos anos. Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/onde-esta-o-meu-mentor/#ixzz1YJeP57mD

sábado, 17 de setembro de 2011

Pertencer

Um amigo meu, médico, assegurou-me que desde o berço a criança sente o ambiente, a criança quer: nela o ser humano, no berço mesmo, já começou. Tenho certeza de que no berço a minha primeira vontade foi a de pertencer. Por motivos que aqui não importam, eu de algum modo devia estar sentindo que não pertencia a nada e a ninguém. Nasci de graça. Se no berço experimentei esta fome humana, ela continua a me acompanhar pela vida afora, como se fosse um destino. A ponto de meu coração se contrair de inveja e desejo quando vejo uma freira: ela pertence a Deus. Exatamente porque é tão forte em mim a fome de me dar a algo ou a alguém, é que me tornei bastante arisca: tenho medo de revelar de quanto preciso e de como sou pobre. Sou, sim. Muito pobre. Só tenho um corpo e uma alma. E preciso de mais do que isso. Com o tempo, sobretudo os últimos anos, perdi o jeito de ser gente. Não sei mais como se é. E uma espécie toda nova de "solidão de não pertencer" começou a me invadir como heras num muro. Se meu desejo mais antigo é o de pertencer, por que então nunca fiz parte de clubes ou de associações? Porque não é isso que eu chamo de pertencer. O que eu queria, e não posso, é por exemplo que tudo o que me viesse de bom de dentro de mim eu pudesse dar àquilo que eu pertenço. Mesmo minhas alegrias, como são solitárias às vezes. E uma alegria solitária pode se tornar patética. É como ficar com um presente todo embrulhado em papel enfeitado de presente nas mãos - e não ter a quem dizer: tome, é seu, abra-o! Não querendo me ver em situações patéticas e, por uma espécie de contenção, evitando o tom de tragédia, raramente embrulho com papel de presente os meus sentimentos. Pertencer não vem apenas de ser fraca e precisar unir-se a algo ou a alguém mais forte. Muitas vezes a vontade intensa de pertencer vem em mim de minha própria força - eu quero pertencer para que minha força não seja inútil e fortifique uma pessoa ou uma coisa. Quase consigo me visualizar no berço, quase consigo reproduzir em mim a vaga e no entanto premente sensação de precisar pertencer. Por motivos que nem minha mãe nem meu pai podiam controlar, eu nasci e fiquei apenas: nascida. No entanto fui preparada para ser dada à luz de um modo tão bonito. Minha mãe já estava doente, e, por uma superstição bastante espalhada, acreditava-se que ter um filho curava uma mulher de uma doença. Então fui deliberadamente criada: com amor e esperança. Só que não curei minha mãe. E sinto até hoje essa carga de culpa: fizeram-me para uma missão determinada e eu falhei. Como se contassem comigo nas trincheiras de uma guerra e eu tivesse desertado. Sei que meus pais me perdoaram por eu ter nascido em vão e tê-los traído na grande esperança. Mas eu, eu não me perdôo. Quereria que simplesmente se tivesse feito um milagre: eu nascer e curar minha mãe. Então, sim: eu teria pertencido a meu pai e a minha mãe. Eu nem podia confiar a alguém essa espécie de solidão de não pertencer porque, como desertor, eu tinha o segredo da fuga que por vergonha não podia ser conhecido. A vida me fez de vez em quando pertencer, como se fosse para me dar a medida do que eu perco não pertencendo. E então eu soube: pertencer é viver. Experimentei-o com a sede de quem está no deserto e bebe sôfrego os últimos goles de água de um cantil. E depois a sede volta e é no deserto mesmo que caminho! Clarice Lispector
...estou procurando, estou procurando. Estou tentando me entender. Tentando dar a alguém o que vivi e não sei a quem, mas não quero ficar com o que vivi. Não sei o que fazer do que vivi, tenho medo dessa desorganização profunda. Clarice Lispector

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Ontém me tornei uma cidadã Analandense segundo as palavras de Beto, fomos para Rio claro e transferi meu título de eleitor para Analândia.Estou feliz sim nunca,me trataram com tanto carinho em uma cidade.obrigada Analândia!!!

vocêsabeessa

PRECONCEITO

MEUS AMIGOS Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril. Oscar Wilde