Translate

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Para Você

Cá estou eu a lhe escrever novamente. Eu preciso disso, preciso escrever, escrever e escrever até esgotar todo vocabulário (se é que isso seja possível)me sinto bem melhor quando escrevo,mesmo que eu saiba que você não vai ler essa carta, você jamais saberá o que se passa em minha mente. Meus amigos andam dizendo que o que sinto por você não é amor, mas paixão! Confesso que não entendo muito disso, não sei qual é a diferença entre os dois, para dizer a verdade não me interessa muito saber que tipo de sentimento eu nutro por você, tudo o que quero é lhe tirar da minha mente, do meu coração.Nunca senti isso... como dói! Mas estou conseguindo passar por mais essa etapa de minha vida, aprendi, que decepções não matam ensinam a viver.Gosto de recordar os nossos bons momentos, gosto sonhar com seus abraços,com seus beijos.com os momentos alegres que passamos juntos, sei que você também sente saudades, sei também que, se eu quisesse você voltaria correndo, mas eu não quero , não posso me violentar. Na verdade eu não sei o que realmente você sente por mim, se é carência, se é atração, sei lá...sei que não é amor,nem essa tal paixão.Você é muito confuso,complicado,não consigo ti entender,talvez seja porque nós somos muito parecidos.Sei que você também não me entende.É complicado amor...vamos deixar que o tempo decida por nós?Vou parar por aqui, estou me sentindo perdida... Fica combinado assim: quando eu me encontrar ... te aviso.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

REVOLUÇÃO FRANCESA

Revolução Francesa
Antecedentes, causas, Tomada da Bastilha, girondinos e jacobinos, monarquia constitucional,  República jacobina,
Robespierre, burguesia no poder, Napoleão Bonaparte, História da França, aspectos da economia, resumo

Revolução Francesa
Queda da Bastilha: marco da Revolução Francesa
 
  Contexto Histórico: A França nos século XVIII

A situação da França no século XVIII era de extrema injustiça social na época do Antigo Regime. O Terceiro Estado era formado pelos trabalhadores urbanos, camponeses e a pequena burguesia comercial. Os impostos eram pagos somente por este segmento social com o objetivo de manter os luxos da nobreza.
A França era um país absolutista nesta época. O rei governava com poderes absolutos, controlando a economia, a justiça, a política e até mesmo a religião dos súditos. Havia a falta de democracia, pois os trabalhadores não podiam votar, nem mesmo dar opiniões na forma de governo. Os oposicionistas eram presos na Bastilha (prisão política da monarquia) ou condenados à guilhotina.
A sociedade francesa do século XVIII era estratificada e hierarquizada. No topo da pirâmide social, estava o clero que também tinha o privilégio de não pagar impostos. Abaixo do clero, estava a nobreza formada pelo rei, sua família, condes, duques, marqueses e outros nobres que viviam de banquetes e muito luxo na corte. A base da sociedade era formada pelo terceiro estado (trabalhadores, camponeses e burguesia) que, como já dissemos, sustentava toda a sociedade com seu trabalho e com o pagamento de altos impostos. Pior era a condição de vida dos desempregados que aumentavam em larga escala nas cidades francesas.
A vida dos trabalhadores e camponeses era de extrema miséria, portanto, desejavam melhorias na qualidade de vida e de trabalho. A burguesia, mesmo tendo uma condição social melhor, desejava uma participação política maior e mais liberdade econômica em seu trabalho.
A Revolução Francesa (14/07/1789)

A situação social era tão grave e o nível de insatisfação popular tão grande que o povo foi às ruas com o objetivo de tomar o poder e arrancar do governo a monarquia comandada pelo rei Luis XVI. O primeiro alvo dos revolucionários foi a Bastilha. A Queda da Bastilha em 14/07/1789 marca o início do processo revolucionário, pois a prisão política era o símbolo da monarquia francesa.
O lema dos revolucionários era " Liberdade, Igualdade e Fraternidade ", pois ele resumia muito bem os desejos do terceiro estado francês.
Durante o processo revolucionário, grande parte da nobreza deixou a França, porém a família real foi capturada enquanto tentava fugir do país. Presos, os integrantes da monarquia, entre eles o rei Luis XVI e sua esposa Maria Antonieta foram guilhotinados em 1793.O clero também não saiu impune, pois os bens da Igreja foram confiscados durante a revolução.
No mês de  agosto de 1789, a Assembléia Constituinte cancelou todos os direitos feudais que existiam e promulgou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Este importante documento trazia significativos avanços sociais, garantindo direitos iguais aos cidadãos, além de maior participação política para o povo.
Girondinos e Jacobinos

Após a revolução, o terceiro estado começa a se transformar e partidos começam a surgir com opiniões diversificadas. Os girondinos, por exemplo, representavam a alta burguesia e queriam evitar uma participação maior dos trabalhadores urbanos e rurais na política. Por outro lado, os jacobinos representavam a baixa burguesia e defendiam uma maior participação popular no governo. Liderados por Robespierre e Saint-Just, os jacobinos eram radicais e defendiam também profundas mudanças na sociedade que beneficiassem os mais pobres.
A Fase do Terror 
Robespierre Maximilien de Robespierre: defesa de mudanças radicais

Em 1792, os radicais liderados por Robespierre, Danton e Marat assumem o poder e organização as guardas nacionais. Estas, recebem ordens dos líderes para matar qualquer oposicionista do novo governo. Muitos integrantes da nobreza e outros franceses de oposição foram condenados a morte neste período. A violência e a radicalização política são as marcas desta época.
A burguesia no poder

Napoleão Bonaparte: implantação do governo burguês

Em 1795, os girondinos assumem o poder e começam a instalar um governo burguês na França. Uma nova Constituição é aprovada, garantindo o poder da burguesia e ampliando seus direitos políticos e econômico. O general francês Napoleão Bonaparte é colocado no poder com o objetivo de controlar a instabilidade social e implantar um governo burguês.
Conclusão

A Revolução Francesa foi um importante marco na História Moderna da nossa civilização. Significou o fim do sistema absolutista e dos privilégios da nobreza. O povo ganhou mais autonomia e seus direitos sociais passaram a ser respeitados. A vida dos trabalhadores urbanos e rurais melhorou significativamente. Por outro lado, a burguesia conduziu o processo de forma a garantir seu domínio social. As bases de uma sociedade burguesa e capitalista foram estabelecidas durante a revolução. A Revolução Francesa também influenciou, com seus ideais iluministas, a independência  de alguns países da América Espanhola e o movimento de Inconfidência Mineira no Brasil.
___________________________________

domingo, 20 de dezembro de 2009


Arruda

Vejam como as coisas mudam! Minha mãe sempre me disse: que Arruda espanta o azar,afasta mal olhado,inveja ,olho gordo,essas coisas que diziam antigamente.Pois é; mas hoje Arruda é um perigo! É caso de polícia,cuidado com "esses" Arrudas! Por causa deles existem: crianças abandonadas,menores drogados ,povo miserável ,infeliz, impostos e mais impostos,desemprego, prostituição,favelas,fome, analfabetismo,educação de péssima qualidade,saúde precária.
Sem terras, sem casas,sem comida,sem trabalho,sem diversão,sem cultura,sem...
Peraí ...
Acho que estou exagerando um pouco,existem os remediados: remédio para dor de cabeça,dor nas costas,dor nas pernas,artrites,artroses,osteoscleroses, cânceres etc,etc, etc...
Bom mãe; se Arruda no seu tempo espantava tudo que era ruim,hoje as coisas mudaram.
Aquela mania de colocar Arruda atrás da orelha para se proteger , já não está valendo mais.Lugar de Arrudas é atrás das grades.Aliás se colocassem os Arrudas atrás das grades,estariam resolvendo TODOS os problemas crônicos do Brasil.


Li Chaves

Publicado no Recanto das Letras em 20/12/2009
Código do texto: T1987237

Essa Noite Sonhei Com Você Essa noite eu sonhei com você, estava tão bonito!No sonho você me amava.Nós fugíamos,nem sei do que...quando acordei senti uma tristeza...sei que tudo acabou nada mais existe entre nós, só ficaram as lembranças -boas e ruins - eu sinto uma sensação estranha, aquela sensação que a gente sente no fim de festa, você entende? – Agora o que eu vou fazer? Ficou um vazio...nosso amor era uma mentira linda, uma ilusão,mas tudo nessa vida é mentira, é ilusão.Agora somos amigos,claro que não é isso que eu quero,minto para mim mesmo dizendo que está tudo bem. Sei que essa amizade também vai se gastar, estamos nos iludindo, como você vê; tudo é ilusão! Tudo nessa vida acaba. -Sabe? Ainda ouso o eco de suas palavras no ar, (coisas do coração).Não tema eu vou te esquecer,me dá um tempo...preciso curar essa ferida.Por enquanto amor,para viver sorrindo, tenho que continuar dormindo.Mas pode ficar tranqüilo, tudo isso vai passar, tudo passa nessa vida... Li Chaves Publicado no Recanto das Letras em 20/12/2009 Código do texto: T1987170

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009


Hoje triste foi o meu dia...e os meus pensamentos
Vaguei  incerta pelas ruas
suspiros de angústia sintonizavam com os meus passos
rostos confusos me cumprimentavam e...
me incomodavam
Horas e horas eu vaguei  louca,perdida
Fuga – buscas - devaneios
emoções  sufocadas,esperanças, vãs
Das flôres -  eu quero o perfume
Do céu  - as estrelas,o sol , a lua
Da noite – eu quero os sonhos
Sem reservas ,sem hipocrisias
Participar de todos os atos,ser atriz protagonista
Quero sentir – Viver!
Todas as histórias de amor
Arrancar do peito essa angústia
Gritar, gritar,e ,  gritar
Desatar todos os nós,soltar as amarras
E ...
voar ,sentir
Como um pássaro livre,solto
Morrer ...
morrer de amor  !!!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Amigo ETÊ


Caro amigo ETÊ.
          Como estão as coisas aí? Faz tempo que você não aparece, não interprete de maneira alguma como uma cobrança de minha parte, é, que as coisas aqui estão feia,e,eu quero lhe perguntar :- Tem um lugar para mim aí ? Você sabe que eu não ofereço nenhum perigo, pode confiar.
              Aqui não tem mais verde nem azul.Sabe? Os meus olhares  são de adeus,como os últimos olhares de um condenado.Aqui agora é o mundo do - dá ou desce -(Eu estou descendo) muita luxúria, pouca cultura,a lei dos homens o condenou,ninguém sabe nada e quem sabe não fala, não diz . Bom amigo estou lhe aguardando,fico olhando para o céu esperando...talvez seja neurose,uma psicose sei lá...mas tudo aqui está me assustando , duvido que isso vai mudar me cansei de andar na contra-mão. Quero conhecer os segredos do universo,sei que não vou mudar o mundo com meu papo furado, só quero sonhar em paz.
            É  amigo,(só para variar) a coisa aqui tá rôxa,  já culpei até cabral,não sei de que lado está o mundo , se é esquerda ou traseira.Sei que sou uma sonhadora e vivo no mundo da lua,  a maioria está entregando a alma ao diabo para poder sobreviver ,  eu não quero entrar no buraco do rato.Amigo, é muita igreja para pouco santo! Me dê uma caronha que eu vou embarcar no seu disco voador e vou...desaparecer.
            Igual a fumaça do chaminé,pois é...se você puder não demore, o tempo é curto , pode não dar tempo.
            Te espero ansiosamente.Plunct,plact,zuum!
Beijos espaciais
Li

Li Chaves
Publicado no Recanto das Letras em 14/12/2009
Código do texto: T1978017
escrever artigo em formato de linha

domingo, 13 de dezembro de 2009

Falsificado


Eu só quis te amar
Quis tão pouco...
quase nada
Um amor sem preconceito
sem vínculos, sem compromissos
Um amor livre
 sem cobranças, sem gaiolas
Pensei, sei lá...
pensei que você fôsse
deixa pra lá...
foi só um sonho que passou.
Acordei!
Nada de especial
Você é só
Você é.
É...
-falsificado-
Li Chaves
Publicado no Recanto das Letras em 13/12/2009
Código do texto: T1975495

domingo, 6 de dezembro de 2009


Não te amo mais.
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis.
Tenho certeza que
Nada foi em vão.
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada.
Não poderia dizer jamais que
Alimento um grande amor.
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci!
E jamais usarei a frase
EU TE AMO!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais...

(Clarice Lispector)

vocêsabeessa

PRECONCEITO

MEUS AMIGOS Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril. Oscar Wilde