Translate

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Infecção — Presença e ação de bactérias, vírus e parasitas dentro do corpo. Insulina — Hormônio antidiabético produzido pelo pâncreas. Ionização — Processo de produção de átomos com cargas elétricas po- sitivas ou negativas (íons). Ishwara — Cristo Interno. Ishwrapranidhana — Entregar-se aos desígnios da Providência; total doação a Deus. Isquemia — Falta de sangue num órgão ou área, devido a espasmo ou fechamento da artéria supridora. Jalandhara bandha — Pressão do queixo sobre o esterno. Japa — Salmo, ladainha, jaculatória, repetição rítmica de ummantram. Jatru — Ombro. Jiva — Alma individual em experiência evolutiva. K Karma(lei) — Lei universal de causa e efeito, pela qual cada ser humano padece ou goza as conseqüências de seu agir no mundo como ser livre e responsável que é. Karma Yoga — Método de Yoga pela ação. Karman — Ação. Koshas — Vaso, recipiente, estojo, vestidura, corpo. Krisma — Um dos avataras(encarnação) de Narayana(Deus) ; perso- nagem central do Bhagavad Gitâ. Ksaham — Perdão, misericórdia. Kumbhaka — Pulmões cheios (apnéia) . Kundailini — Força estranha, em estado de latência no châkrar a i z . Lesão — Alteração na estrutura de tecfdo, em virtude de ferimento ou enfermidade. Ülceras, tumores, abscessos... são lesões. Ludoterapia — Tratamento pelo recreio, jogo, divertimento. Lumbago — Dor lombar (final das costas) ; termo genérico de toda condição dolorosa nas costas. M Makarâsana — Postura de relax, deitado sobre o ventre. Mala — Impureza mental. Mala — Rosário de 108 contas, com o qual o hinduísta faz japa. Manas — Mente. Manomayakosha — Corpo mental. Mantram — Palavra de força ou significado transcendente, cuja repetição (japa)propicia grandes proveitos psíquicos e espirituais. Matsyâsana — Pose (âsana)do peixe.
Maya — Mundo fenomêtóco, ilusório e manifestado. Menopausa — Mudança psicossomática profunda na mulher, quando os ovários começam a reduzir sua produção em decorrência da idade. meruàanda — Canal raquidiano. Metafísica — Conhecimento filosófico da essência, da causa primeirae fim último das coisas. Mudra — Símbolo ou expressão somatopsíquica. Mukta — O que se libertou; o redento. Mukti — Libertação, redenção. Muladhara— Châkra raiz, correspondente ao períneo. N Naddi — Nervo sutil. > OXISUI Namastê — Saudação indiana, feita com a junção das palmas dasmãos à altura do peito, como que a dizer: Deus em mim saúda Deus em você. Narcisismo — Estado psíquico, atitude pela qual o homem se elege a si mesmo como objeto de seu amor, não os outros. Nasagra dristi — Exercício para os olhos (tratak). Olhos fixados em um ponto entre as sobrancelhas(ajna châkra, terceiro olho). Nervosismo — Termo geral indicando a desproporção sintomática entre o estímulo e a reação; caracteriza-se por intranqüilidade e disforia. Neurastenia — Fraqueza (astenia) dos nervos. Neurite — Nervos inflamados. Neuroanelepsia — Levantamento do tono nervoso. Neurolepsia — Abaixamento do tono nervoso. Neuroso — Desordem nervosa. Neurótico — Indivíduo de comportamento nervoso anômalo. Niilismo — Descrença, pessimismo, negatividade, que leva o neurótico ao estado de depressão e apatia. Nishkrama karma — Comportamento inegoístico. Nispanda-bhava — Exercício de atenção voluntária para um som e de efeito tranqüilizante. Ojas shakti — Potencial criador do espírito. Orfeu(grego) — Deus da mitologia grega; corresponderia a Arjunada tradição hindu: conta-se que andou pelo mundo ensinando a sabe- doria, as ciências e estabelecendo os mistérios. Pâncreas — Glândula endócrina. Segrega enzimas (químicas) nos intes- tinos para a digestão dos alimentos e fabrica a insulina, a qual lança diretamente no sangue. Parabrahm — O Imanifestado (transcendente ao mundo fenomênico). Partha — Epíteto de Arjuna. Períneo — Zona entre o ânus e os órgãos genitais.
Pineal — Glândula epífise. Pingala — Um dos naddis(nervos sutis) . Pituitária — Glândula hipófise. Placebo — Medicamento quimicamente neutro, age por sugestão. Plexos — Enovelatnento de nervos. Prakriti — Natureza material do Universo. Prâna — Energia biopsíquica, principio vital Pranayama — Exercício que permite o maior aproveitamento e canali- zação voluntária doprâna. Pranamayakosha — Corpo prânico. Psicastenia — Fraqueza das funções psíquicas. Psicocibernética — Ciência que estuda a mente e o cérebro como má- quina cibernética. Psicodélico — Agentes que transtornam a percepção, ampliando-a e levando-a a um estado de fantasia. Também chamados de alucinó- genos. Criam psicoses. O mais conhecido é o ácido lisérgico. Psicodisléptico — Agentes euforizantes, esquizofrenizantes e psicodélícos. Psico tônico — Agente que tonifica o psiquismo. Psicotrópicos — Agentes que inclinam a mente (psiquismo) para deter- minada direção; largamente usados na farmacoterapia psiquiátrica. Dividem-se em: psicolépticos, psicanalépticos e psicodíslépticos. Seu uso indiscriminado por pessoas viciadas se torna hoje preocupação da Organização Mundial de Saúde'. Prathanâsana — Pose da prece (âsana)tranqüilizante. Pratyahara — Retração dos sentidos dos objetose x t e r n o s . Pr em — Amor transcendente ao Divino. Profilático — Preventivo. Proteínas — Substâncias alimentícias à base de azoto, que. fornecem material para a construção das células e funcionamento dos órgãos. Psicanálise — Método psicoterápico através da análise da experiência passada e do conteúdo do inconsciente. Aplicável no tratamento da psicose e da neurose bem como das repercussões orgânicas que determinam. Psicógena — Doença criada pelas condições perturbadas da vida mental. Psicoterapia — Tratamento a partir da normalização e harmonização da vida mental. Puraka — Inspiração. Puranas — Textos sagrados do hinduísmo. Furnâsana — Pose de torção da coluna. Purusha — Princípio espiritual do Universo. R Racionalização — Operação pelo qual a mente engendra uma desculpa ou explicação aceitável para um comportamento irracional, neurótico. Raga — Concupiscência. Raja Yoga — Unificação pela conquista e aperfeiçoamento da mente. Rajas — Uma das gunas — a da atividade, vontade, luta, movimento... Recidiva — Recaída. Rechaka — Expiração. Rishis — Sábios e videntes; criadores da doutrina ou dos ensinos hin- duísticos.
Sãdhaka — O que segue ou realiza o sâdhana. Sâdhana — Caminho ou método para a realização espiritual. Sadhu — Anacoreta indiano, meditando no ermo. Saguna — Universo sem atributo. Sahasrara— Lótus de mil pétalas; châkra no alto da cabeça. Sakama-kama:Autogratificação. Sakshi — Testemunha silente. Samadhi — Êxtase. Samkalpayatna — Controle da imaginação. Samsara — O processo do mundo fenomênico. Samskara — Representação introjetada na subconsciência (inconsciente Sanâtana-dharma — Caminho da pureza; lei moral transcendente. Sanga — Servidão aos sentidos; escravidão à sensualidade. Sanyasin — Renunciante. Santosha — Contentamento. Satsanga — Companhia de gente santa; reunião de culto. Satva — Uma das gunas — a da sabedoria, serenidade, santidade... Sátvico — O que possui a qualidade satva, isto é, onde predomina esta guna. Saucha — Limpeza, pureza. Sedativo — O agente que produz calma. Seva — Agir em proveito do próximo. Shakti — Aspecto energético universal; aspecto feminino de uma deidade. Shavâsana — Postura própria de relax; pose do cadáver. Shiva — Deus da trindade bramânica, aspecto destruidor da Divindade, que desfaz as formas velhas para permitir a evolução através de novas formas mais próprias. Siddis — Poderes ou perfeição adquiridas através da ascese yogui. Simbiose — Vida harmônica, resultante de duas formas primitivas dife- rentes . Simpático(sistema nervoso) — A parte normalmente autônoma do sis- tema nervoso. Síndrome — Grupo de sintomas que aparecem juntos. Sinergéticas(funções) — As que se fazem em harmonia. Sintoma — Fenômeno fisiológico que revela estado anômalo do organismo. Sistáltico — Estilo musical psicotrópico dos gregos antigos, que suprimia a vontade consciente liberando as paixões. Sistole — Pulsar do coração, quando se contrai. Soma (grego) — Corpo. Somatização — Expressão orgânica de um estado psíquico. Stress — Estado em que o corpo se vê obrigado a defender-se de qual- quer ameaça seja vinda do ambiente, seja do próprio corpo (lesão, alterações funcionais, desgaste, degenerescência...) . Stressor — Todo agente, externo ou interno, físico ou mental, que deter- minastress. Subconsciente — Nível pouco acessível da mente, onde estão gravadas samskaras, vâsanas da experiência, bem como estranhos poderes e virtudes. Siiddha — Transcendente, puro, além do universo manifestado.
Sukha-purvak — Respiração polarizada. Sublimação — Termo criado pelos psicanalistas para significar o processo inconsciente de canalização para fins socialmente aceitos ou espiri- tuais, a energia sexual. Super consciente — Nível transcendente da mente. Supta-ardha-gorakshasâna — Uma técnica de vitalização. Sushumna — Nervo sutil (naddi) central, correspondendo à medula, Svadcaya — Estudo do Ser. Tantras — Certos tratados sobre métodos relativos à Laya-Yoga. "O sis- tema" diz Wood, "contém as principais fórmulas para a adoração dos Deuses... com vistas ao uso de poderes". Tantrismo — Escola esotérica à base dos tratados tântricos. Tao — Livro básico do taoísmo, do sábio chinês Lao-Tsé. Tapas — Paciência e tolerância. Taquicardia — Aceleração do pulsar do coração. Telencéfalo — Parte frontal do cérebro. Terapêutica — Terapia, tratamento. Tha — Símbolo da polaridade negativa do Universo. Thalâsana — Pose da palmeira. Timo — Glândula endócrina localizada pouco acima do coração, desen- volvida na criança, regride no adulto. Tiroxina — Hormônio produzido pelas glândulas tereóides. Titiksha — Resistência. Tono — Grau normal de contração presente em muitos músculos, que os mantêm sempre prontos para agir quando necessário. Refere-se também aos nervos e, por extensão, aos estados psíquicos. Tóxico — Veneno. Toxina — Veneno segregado por germes ou outras formas de vida animal ou vegetal.1 Tratak — Fixação dos olhos. Triguna — Três gunas(atributos da natureza) . Trikonâsana — Postura (âsana)do triângulo. Trikuti — Ponto entre as sobrancelhas; olho de Shiva; terceiro olho. Tyaga — Não se considerar como autor das ações, mas a Divindade. Olcera — Lesão e inflamação de superfície. Upâsana — Perene adoração do Onipotente. Uppanishads — Livros conclusivos dos Vedas, fundamento da filosofia Vedanta. Vagotonia — Funcionamento excessivo do vago, resultando em funcio- namento defeituoso dos órgãos abdominais que ele comanda. Vama — Direita
Vâsanas — Impregnações afetivas introjetadas no subconsciente (incons- ciente) . Vedas — Textos sagrados do hinduísmo de autoria dos Rishis (sábios, videntes). Vidya — Sabedoria, vivência filosófica que liberta, conhecimento da verdade. Vijnanamayakosha — Corpo de sabedoria. Vikshepa — Estado de insegurança e vacilação mental. Viparitâ-karani — Uma das posturas invertidas. Virose — Doença infecciosa determinada por vírus. Vírus — Agentes vivos, ainda menores do que as bactérias, causadores de doenças infecciosas. Vishuda — Châkra (centro sutil de energia) localizado na altura da garganta. Viveka — Discernimento superior. Voluntarização — Mecanismo de submeter à vontade comportamentos automáticos; opõe-se à automação. Vrikâsana— Asana(pose) da árvore. Vrittis — Movimentos, vórtices, fenômenos mentais. Yama — Preceito ético da Astanga Yoga. Yang — Símbolo da polaridade universal negativa (no taolsmochinês) Yoga — Síntese, unificação, união; método prático de redenção da alma humana. Yoga-Brahma-Vidya— Ciência sintética do Absoluto. Yoganidra — Estado de sono dos tecidos orgânicos. Yoga-mudra— Símbolo do Yoga; técnica psicossomática. Yogui — Sábio, santo, que, realizando o Yoga (união ou comunhão com a Divindade), redimiu-se desatnsara. Yoguin — O praticante e aspirante dá união.
Aprendamos as lições das parábolas. Escutemos seus sábios conselhos semi- ocultos. Comecemos: 1) Dois nadadores queriam chegar a uma casa no outro lado do rio, bem em frente a eles. O primeiro, vaidoso com sua força de vontade e com suas habilidades de campeão, atirou-se à água, nadando obstinado exatamente em direção à casa, isto é, perpendicularmente à corrente. Travou luta inglória e estú- pida. Quase morto, foi socorrido, quando, já exausto e vencido ia sendo arrastado para as pedras. O segundo meteu-se n'água, econcedendo, e mesmo apro- veitando a direção da corredeira, nadou em diagonal. Chegou no outro lado num ponto abaixo a certa distância da casa onde queria chegar. Já em terra firme, andou pela margem na direção do rio acima e chegou tranqüilo a seu destino. Que acha disto? Quem foi mais sábio? O primeiro ou o segundo nadador? Qual deles foi eficaz? Por que ou com o que o segundo realizou a tarefa? Qual foi a estratégia da vitória?

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

UM NINGUÉM QUE NINGUÉM NOTOU “Você veio a este mundo não porque assim escolheu – mas porque o mundo precisou de você”. “O ano de 1809 foi um ano bom. Como é natural, os que estavam vivos na época não sabiam disso .só a história conta esse episódio. O mundo todo da época tinha os olhos fixos em Napoleão Bonaparte, que marchava através da Áustria, assim como um incêndio devasta um campo de trigo. Enquanto povoados, vilas e cidades caíam em suas garras, às pessoas começam a se perguntar se o mundo inteiro seria conquistado por ele. Durante esse mesmo período de tempo, milhares de crianças nasceram na Bretanha, na América e no Brasil. Mas quem se preocupava com bebês, mamadeiras e berços, enquanto Napoleão devastava a Áustria? Alguém, porém, deve ter se preocupado, porque em 1809, Willian glasdstone nasceu em Liverpool, Alfred tennyson começou sua vida em Lincolnshire, Oliver Wendell Holmes deu seu primeiro berro em Cambridge, Massachusetts. A poucos quilômetros de distância em Boston, Edgar Allan Poe começou sua breve e trágica existência nesta terra. No mesmo ano, Charles Robert Darwin usava a sua primeira fralda. E numa pequena cabana de madeira, no condado de Hardin, em Kentucky, um trabalhador analfabeto e sua mulher deram ao filho recém-nascido o nome de Abraham Lincoln. Aqui no Brasil, brincando nas ruas de vila do porto da estrela, o garoto Luis Alves de Lima e Silva, alguns anos mais tarde, seriam reconhecidos como o duque de Caxias. A vida desses estadistas, escritores e pensadores anunciaria a gênese de uma nova era. Mas ninguém se preocupava com esses desconhecidos enquanto Napoleão marchava sobre a Áustria. É estranho que, hoje, só os aficionados por história poderiam citar uma única batalha travada por Napoleão na Áustria. Mas não existe pessoa alguma que não tenha sido tocada, de alguma forma pela vida desses homens que acabei de citar. “ninguéns” que ninguém notou. Muitos estão sendo desprezados porque os outros não vêem o que há dentro delas. Minha missão é fazer você ver o que há dentro de você. Não há um ninguém, há uma riqueza dentro de você! Tal qual um escultor, vejo você de uma maneira diferente! Dizem que Michelangelo costumava andar ao redor de um bloco de mármore por dias. Apenas caminhava ao redor e falava sozinho. Primeiro ele via as coisas na pedra, depois, ele as retirava delas. Nunca deixe que ninguém o despreze. Você não é um ninguém! Você é uma pessoa de grande valor. Você pode passar toda a sua vida competindo com outros, tentando provar que e alguém e continuar sentindo – se alguém sem importância. Liberte – se disso hoje! Você não precisa viver com esse problema nunca mais. Pare de tentar ser alguém porque você já é alguém. Vamos voltar ao início. Você acaba de nascer e estamos contemplando esse novo bebê. Você é doce, inocente e adorável. Sua vinda a terra foi planejada. Você é uma pessoa planejada. O grande planejador colocou você aqui. Mais ainda: para coloca – luz aqui, chances contrárias a você, na proporção de bilhões contra uma, tiveram que ser vencidas. Superar tais possibilidades equivale a realizar um milagre. Você se equipara aos maiores milagres de todos os tempos. Isso não é gracejo, nem um elogio. É a simples verdade. Os fatos a respeito desse milagre são conhecidos por todos os médicos. Quando as pessoas refletirem sobre esses fatos, elas olharão para um recém nascido com enorme interesse e respeito. Quando alguém é escolhido entre bilhões de outros, isso causa admiração. No entanto, foi isso que aconteceu a você. E se isso não tivesse acontecido você jamais teria nascido. Quando você foi concebido, aproximadamente 250 milhões de espermatozóides entraram no útero de sua mãe. Somente uma dessas células tinha o seu nome. As outras 249.999.999, não tinham. As chances desta célula, em particular, vingar, eram menores que uma em 250 milhões. A célula com o seu nome uniram – se com certa célula (uma em 10 mil ou mais), na trompa de sua mãe e isso resultou em você. Duas outras células poderiam se unido e assim uma criança teria nascido, mas não teria sido você, do mesmo modo que seus irmãos e irmãs não são você. Você tinha que nascer naquela época, em particular, para ser o que você é. Qualquer outra célula teria produzido uma pessoa diferente, com uma personalidade diferente. Portanto, seu nome teria desaparecido! Foi o que aconteceu com as outras células de vida. Mas não aconteceu com você. Você nasceu. Estava destinado a chegar ao momento e no lugar exato em que isso aconteceu por quem gerou você. O seu criador eliminou os bilhões de chances contrárias para que você pudesse nascer? Por quê? Você veio a esse mundo não porque assim escolheu – mas porque o mundo precisou de você. Você está aqui por um propósito. Não existe uma única duplicata sua em todo vasto mundo. Nunca houve. Nunca haverá. Você foi trazido aqui agora, para atender a uma necessidade. “Pense nisso, você é alguém muito precioso no plano do criador”. Texto tirado do livro Insight dois de Daniel C. Luz

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Alguém

Alguém me levou de mim Alguém que eu não sei dizer Alguém me levou daqui Alguém esse nome estranho Alguém que eu não vi chegar Alguém que eu não vi partir Alguém que se alguém encontrar, recomende Que me devolva a mim !

Fácil e difícil

Fácil e difícil
Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que se expresse sua opinião...
Difícil é expressar por gestos e atitudes, o que realmente queremos dizer.
Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias...
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus próprios erros.
Fácil é fazer companhia a alguém, dizer o que ela deseja ouvir...
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer a verdade   quando for preciso.
Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre a
mesma...

Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer.

vocêsabeessa

PRECONCEITO

MEUS AMIGOS Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril. Oscar Wilde