Translate

domingo, 16 de outubro de 2011

Cara Lina Maria Chaves, A sua vida é aquilo que faz dela. A sua felicidade depende principalmente da sua atitude na vida e, nomeadamente, do teor e da qualidade dos seus pensamentos e ideias, que são mais poderosos do que aquilo que possa pensar. São até as suas principais armas para levar a existência que deseja ter. Você não vê o mundo tal como ele é, mas como a sua mente o vê. Dito de outra forma, todas as suas perceções têm um papel de filtro entre a realidade e você. O mundo é aquilo que pensa dele. Se pensar mal dele, não poderá progredir. Assim, os seus pensamentos influenciam a sua existência e todo o seu ambiente. Poderá ser feliz ou infeliz em função do teor positivo ou negativo das suas ideias. Para tornar as suas ideias o mais fortes possível, é preciso positivá-las ao máximo. Quando uma ideia negativa vier, deixe-a vir; quando partir, deixe-a partir. Aja com as suas ideias negativas como com um cavalo. Tal como faríamos com um cavalo selvagem, é preciso acalmar os seus pensamentos negativos. Se os mantiver na sua mente, andarão às voltas como um cavalo fechado num picadeiro. Se deixar o cavalo sair do picadeiro, ele irá correr em espaços vastos e, na altura certa, acalmar-se-á e tornar-se-á tranquilo. Para uma ideia negativa, faça a mesma coisa: não a prenda. Deixe-a partir e sair do picadeiro da sua mente. Se ela resistir, emita imediatamente um pensamento positivo sobre alguma coisa positiva que gostaria de fazer. Esta reação, com um pouco de treino, afastará a ideia negativa. Ao fim de algum tempo, a sua mente irá acalmar-se sozinha e as ideias negativas desaparecerão. Terá assumido o controlo da sua mente e poderá mudar a sua existência e o mundo à sua volta. A sua amiga dedicada, Tara

Nenhum comentário:

Postar um comentário

vocêsabeessa

PRECONCEITO

MEUS AMIGOS Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril. Oscar Wilde