Translate

sábado, 28 de maio de 2011

Desde pequeno eu via coisas estranhas na TV... * O Tarzan corria pelado... * Cinderela chegava em casa meia noite... * Aladim era ladrão... * Batman dirigia a 320 km/h... * Pinóquio mentia... * Bela Adormecida era uma vagaba... * Salsicha (Scooby-Do) tinha voz de maconheiro, via fantasma e conversava com o cachorro... * Zé Colméia e Catatau eram cleptomaníacos e roubavam cestas de pic-nic... * Branca de Neve morava na boa com 7 homens (pequenos)... * Olívia Palito tinha bulimia; * Popeye fumava um matinho suspeito!!! * Pac Man corria em uma sala escura com musica eletrônica comendo pílulas que o deixam ligadão; * Super Homem locão, colocava cueca por cima da calça; * A Margarida namorava o Pato Donald e saía com o Gastão; Vejam os exemplos que eu tive! Tarde demais! Agora pedem pra eu me comportar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

vocêsabeessa

PRECONCEITO

MEUS AMIGOS Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril. Oscar Wilde