Translate

segunda-feira, 4 de abril de 2011

CURIOSIDADES

Não entendo patavinas.&&&&&&& Os portugueses tinham enorme dificuldade de entender o que falavam os frades italianos patavinos, originários de Pádua ou Padova. Daí que não entender patavinas significa: Não entende nada.&&&&&&&&&&&&&&&&& Dourar a pílula&&&&&&&&&&&&&&& Antigamente as farmácias embrulhavam as pílulas amargas em papel dourado para melhorar o aspecto de remedinho. A expressão dourar a pílula significa melhorar a aparência algo ruim.&&&&&&&&&&&&&&&& Conto do vigário&&&&&&&&&&&&&&& Duas igrejas de ouro preto receberam como presente uma única imagem e para decidir qual das duas ficaria com a escultura, os vigários apelaram à decisão de um burrico. Colocaram-no entre as duas paróquias e esperou o animalzinho caminhar até uma delas. A escolhida pelo quadrúpede ficaria com a estátua. E o burrico caminhou direto para uma delas... Só que mais tarde descobriram que um dos vigários havia treinado o burrico. O conto do vigário passou a ser sinônimo de falcatrua e malandragem.&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&& Voto de minerva&&&&&&&&&&&&&&&&& Na mitologia grega, Orestes, filho de Clitemnestra, foi acusado de tê-la assassinado. No julgamento havia empate entre os jurados, cabendo à deusa da sabedoria, Minerva, o voto decisivo. O réu foi absorvido, e voto minerva é, portanto decisivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

vocêsabeessa

PRECONCEITO

MEUS AMIGOS Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril. Oscar Wilde