Translate

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Pronto Falei!!!

#PRONTOFALEI !!! Ninguém é bobo, nem as crianças de hoje nascem com olhos fechados. Cosmópolis precisa mudar a mentalidade e a forma de enxergar certas coisas, coronelato não se admite mais. O regime vigente nesta cidade é a ditadura, velada, silenciosa, presunçosa e que só perde a maioria em detrimento de uma minoria. Um caso que merece atenção difícil de ser abordado e impopular mas que nossos vereadores deveriam olhar de perto e aprofundar melhor é a situação das radios “comunitária” O que é uma rádio comunitária? O Serviço de Radiodifusão Comunitária foi criado pela Lei 9.612, de 1998, regulamentada pelo Decreto 2.615 do mesmo ano. Trata-se de radiodifusão sonora, em freqüência modulada (FM), de baixa potência (25 Watts) e cobertura restrita a um raio de 1km a partir da antena transmissora. Podem explorar esse serviço somente associações e fundações comunitárias sem fins lucrativos, com sede na localidada da prestação do serviço. As estações de rádio comunitárias devem ter uma programação pluralista, sem qualquer tipo de censura, e devem ser abertas à expressão de todos os habitantes da região atendida Leia mais: http://www.te1.com.br/2010/06/o-que-e-uma-radio-comunitaria/#ixzz1IBcVj1H8 Como deve ser a programação de uma rádio comunitária? A programação diária de uma rádio comunitária deve conter informação, lazer, manifestações culturais, artísticas, folclóricas e tudo aquilo que possa contribuir para o desenvolvimento da comunidade, sem discriminação de raça, religião, sexo, convicções político-partidárias e condições sociais. A programação deve respeitar sempre os valores éticos e sociais da pessoa e da família, prestar serviços de utilidade pública e contribuir para o aperfeiçoamento profissional nas áreas de atuação dos jornalistas e radialistas. Além disso, qualquer cidadão da comunidade beneficiada terá o direito de emitir opiniões sobre quaisquer assuntos abordados na programação da emissora, bem como manifestar idéias, propostas, sugestões, reclamações ou reivindicações. Como deve ser a publicidade nas rádios comunitárias? As prestadoras do Serviço de Radiodifusão Comunitária podem transmitir patrocínio sob a forma de apoio cultural, desde que restritos aos estabelecimentos situados na área da comunidade atendida. Entende-se por apoio cultural o pagamento dos custos relativos à transmissão da programação ou de um programa específico, sendo permitida, por parte da emissora que recebe o apoio, apenas veicular mensagens institucionais da entidade apoiadora, sem qualquer menção aos seus produtos ou serviços. O que não pode ser transmitido por uma rádio comunitária? É proibido a uma rádio comunitária utilizar a programação de qualquer outra emissora simultaneamente, a não ser quando houver expressa determinação do Governo Federal. Não poderá ela, também, em hipótese alguma: veicular qualquer tipo de defesa de doutrinas, idéias ou sistemas sectários; e inserir propaganda comercial, a não ser sob a forma de apoio cultural, de estabelecimentos localizados na sua área de cobertura. As emissoras lógico precisam de recursos financeiros, isso é indiscutível. Entretanto, o que se vê é uma tendência imposta promotora da 'verdade' de apenas um determinado pensamento político. O embate, debate, propostas e proposições são menos fomentados. Uma ainda é mais aberta, outra é quase restrita. Mas ainda perdura aquela ideia de não chamar esse jornalista ou aquele político. Roberto Marinho, Silvio Santos, Bispo Macedo, Almicare Dallevo, Carlos Massa (Ratinho) todos têm suas emissoras comerciais e fazem o que bem entendem delas, e fazem bem feito. Apesar de disputa políticas e ideologias diferentes ainda assim permitem o contraditório. A presidente Dilma Rousseff afirmou que "prefere a falação da imprensa, do que o silêncio da ditadura". Por que, em COSMÓPOLIS, as emissoras educativas optam pelo contrário? Quem ganha e quantos perdem? A dinâmica dos recursos públicos e políticas públicas precisam ser confrontadas com a realidade e o contraditório, propostas e projetos culturais estão acima de vaidades políticas e a rádio comunitária ou a televisão educativa seria o melhor instrumento para levar conhecimento e massa crítica ao nosso povo. O ministro Paulo Bernardo é linha dura, prometeu rever todas concessões e os canais que estão em operação, mas o país não tem condições de fiscalizar tudo. Não cabe a sociedade esperar por Brasília, resta mobilizar e enxergar que apesar de diferentes pensamentos, temos o interesse numa cidade melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

vocêsabeessa

PRECONCEITO

MEUS AMIGOS Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril. Oscar Wilde